Topo

Químico usará prêmio de R$ 780 mil do Nobel para custear bolsas estudantis

Divulgação/Universidade Missouri-Columbia
George P. Smith foi laureado com o Nobel de Química em 2018 Imagem: Divulgação/Universidade Missouri-Columbia

Do BOL, em São Paulo

2019-03-15T16:53:36

15/03/2019 16h53

Em vez de usufruir do prêmio de 250 mil dólares (mais de R$ 780 mil) que recebeu ao ser laureado com o Prêmio Nobel de Química, em 2018, o químico e professor universitário George Smith decidiu usar todo o dinheiro para custear bolsas estudantis, de acordo com reportagem do site Good News Network.

Em um comunicado, o professor anunciou que, além de conceder bolsas para cursos da faculdade de ciências da Universidade Missouri-Columbia, também decidiu incluir no recém-criado fundo os estudantes de cursos de artes e humanidades. "Isso pode surpreender algumas pessoas, mas meu primeiro diploma foi na área de artes, não de ciência. Minha educação artística liberal foi um trampolim para uma vida de aprendizado e envolvimento cultural. Espero que apoiar os cursos de artes enriqueça a vida dos futuros estudantes, independentemente da carreira que escolham", explicou o professor, em um comunicado à imprensa.

Para colaborar com o fundo criado pelo vencedor do Nobel, a própria universidade decidiu contribuir com 300 mil dólares (aproximadamente R$ 950 mil) para custear bolsas de estudos. Além disso, a universidade anunciou que adicionará 100 mil (cerca de R$ 312 mil) dólares ao fundo cada vez que um ex-aluno ou professor da universidade for laureado com o Nobel.

George Pieczenik Smith tem 77 anos, é químico e professor emérito da Universidade Missouri-Columbia. Ele foi laureado com o Nobel de Química por causa das pesquisas que faz desde 1985, que envolvem proteínas e bacteriófagos (vírus que infectam e destroem bactérias).

(Com informações do Good News Network)

Para receber notícias do Brasil e do mundo, acesse o Messenger do BOL, digite "Notícias" e clique em "Sim". É simples e grátis!

Mais Notícias