PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Roland Garros terá mais público em 2021 e vai exigir passe sanitário para torcedores

16/05/2021 15h06

Com a volta do público, restrições rígidas e jogos noturnos pela primeira vez, o torneio de tênis de Roland Garros abre a temporada de eventos esportivos na França obedecendo as novas medidas de flexibilização anunciadas pelo governo francês diante da pandemia.

Com a volta do público, restrições rígidas e jogos noturnos pela primeira vez, o torneio de tênis de Roland Garros abre a temporada de eventos esportivos na França obedecendo as novas medidas de flexibilização anunciadas pelo governo francês diante da pandemia.

O atraso de uma semana para o início do torneio, previsto entre 24 de maio e 13 de junho, foi a solução encontrada junto às autoridades francesas para garantir a realização do evento em um período favorável  para acolher mais público, levando em conta um calendário esportivo repleto de competições como a Eurocopa de futebol e os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Durante uma conferência de imprensa na quarta-feira (14), os organizadores detalharam o funcionamento do torneio de Roland Garros, ressaltando que foi o único Grand Slam do circuito a ser impactado por dois anos seguidos pela pandemia da Covid-19.

Na primeira semana, do qualifying, com os atletas disputando as últimas vagas no quadro principal, o complexo de tênis na região oeste de Paris vai ficar fechado ao público.  

Mas nas duas semanas seguintes, a partir de 30 de maio, os torcedores estarão de volta às arquibancadas, mas respeitando um limite inicial de 35% da capacidade total de cada quadra e posteriormente a 65%. A Federação Francesa de Tênis espera assim receber um total de 118 mil torcedores. É bem menos do que os 500 mil em um período normal, mas bem acima do público limitado a mil pessoas por dia como no ano passado, quando excepcionalmente o torneio foi realizado em setembro.

"Nossos objetivos principais: primeiro o de acolher o maior número possível de espectadores para garantir um espetáculo com o máximo possível de qualidade, mas também de garantir a segurança sanitária de todos", afirmou Gilles Moretton, presidente da Federação Francesa de Tênis.

Passe sanitário

De acordo com o calendário progressivo de flexibilização das medidas sanitárias definido pelo governo, nos dez primeiros dias serão autorizados até 5 mil torcedores no local, e até 13 mil no último final de semana. Quem não conseguir entrar na quadra central para ver as finais, poderá acompanhar de telões gigantes dentro do complexo.

Mas para ter acesso ao local, os torcedores, assim como os atletas, terão que respeitar as rígidas exigências sanitárias, como uso de máscaras, e a partir de 9 de junho, quando for autorizado um número maior de pessoas no complexo, será preciso apresentar um passe sanitário. A medida adotada pelo governo e aprovada pelo parlamento francês será indispensável para entrar e frequentar o local, de acordo com a diretora geral da FFT, Amélie Oudéa Castera

"Esse passe sanitário implica a apresentação, ou um teste PCR negativo de menos de 48 horas, ou de um certificado de vacinação. E, uma terceira opção, é um certificado de remissão, isso é, um resultado positivo de Covid de mais de duas semanas e de menos de seis meses, que é a prova de uma contaminação antiga", explicou. 

Jogos noturnos

Pela primeira vez, Roland Garros programou  jogos no período noturno, mas como o toque de recolher, atualmente até as 19 horas, só vai ser estendido às 23 horas a partir de 9 de junho, apenas um dos dez jogos poderá acolher o público na quadra principal, a Philippe Chatrier.

"Nós teremos apenas uma das dez sessões noturnas com a presença do público. É evidente que o impacto é muito significativo em termos de receitas de bilheteria. De alguma forma, nós tivemos o azar de ser o único torneio duas vezes impactado por essa crise sanitária. Mas, por outro lado, estamos felizes de ter um número mínimo de espectadores, que é significativo, apesar de tudo", diz Amélie Oudéa Castera.

"Há muito tempo não víamos tal nível de presença de público. Vamos aproveitar para fazer também uma festa popular, voltada para os jovens e é isso que nos dá coragem e energia para enfrentar os problemas financeiros que será preciso resolver", aponta.

Apesar da queda de receitas com o número limitado de entradas, a direção do torneio anunciou durante a conferência de imprensa que os prêmios distribuídos aos atletas serão de 34 367 215 €, mesmo montante do ano anterior. "Diante do Prize Money do torneio 2021, Roland-Garros mantém sua solidariedade com as jogadores e jogadores que continuam a viver um período difícil", sublinhou diretor de Roland-Garros, Guy Forget. Para ele, "houve um reequilíbrio nos quadros feminino e masculino do qualifying e uma paridade entre jogadoras e jogadores".

Notícias