PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Burocracia impede vacinação de brasileiros na Grécia: 'Ficamos invisíveis'

Brasileiros vivendo na Grécia enfrentam dificuldades para vacinação contra a covid-19 - Claudio Furlan/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo
Brasileiros vivendo na Grécia enfrentam dificuldades para vacinação contra a covid-19 Imagem: Claudio Furlan/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo
do UOL

Colaboração para o UOL

22/04/2021 12h23

Os imigrantes brasileiros que vivem na Grécia estão sendo excluídos da lista de vacinação contra a covid-19, segundo informações da revista Época. Por razões burocráticas do governo grego, estrangeiros que residem no país europeu não estão conseguindo sequer agendar a data para aplicação do imunizante contra o coronavírus.

A brasileira Márcia Argyris, 64, vivendo há quatro anos na Grécia, já era para ter recebido pelo menos a primeira dose da vacina, mas, até o momento, ela sequer conseguiu agendar o dia para aplicação do imunizante. "Ficamos invisíveis", declarou a aposentada em entrevista à revista, sobre o impasse vivido.

Pelas regras determinadas pelo governo, os candidatos à vacinação devem apresentar o número de previdência social, chamado de AMKA, e o cadastro de pessoa física. Neste mês, a Grécia anunciou que permitirá que estrangeiros obtenham um AMKA provisório, a fim de que tenham acesso à vacinação.

No caso de Argyris, ela é aposentada no Brasil e, portanto, não exerce algum tipo de profissão na Grécia, o que a deixa de fora da previdência social grega, fato que dificulta ainda mais o acesso ao documento necessário para que consiga se imunizar.

"Estou aposentada, 'não precisa trabalhar', então não preciso de AMKA. Mas aconteceu essa pandemia e, para que eu seja vacinada, preciso dele. Estou na correria desde dezembro, quando anunciaram que os estrangeiros poderiam fazer o documento no KEP, que é o Poupatempo daqui. Só que você chega no lugar e dizem que não é lá, que só fazem para nacionais. Você tem que ir para outro órgão, que até hoje não consegui acesso, onde fazem para estrangeiros", relatou.

Argyris disse que a situação é ainda mais preocupante para aqueles que estão indocumentados no país, fator que faz com que essas pessoas tenham medo de pedir ajuda às autoridades competentes. Procurada pela Época, o Itamaraty não se manifestou sobre esse impasse vivido pelos brasileiros residentes na Grécia.

Atualmente, a Grécia, que iniciou o programa de vacinação em dezembro de 2020, está aplicando a primeira dose do imunizante entre aqueles com idade de 55 a 59 anos. Segundo dados da plataforma Our World in Data, cerca de 17,5% dos gregos receberam a primeira dose do imunizante, enquanto 7% já tiveram as duas doses aplicadas.

Em meio a esse cenário de incertezas, Márcia Argyris disse que fica na expectativa pela vacinação e se questiona se terá direito ao imunizante. "A gente fica invisível nessa hora", concluiu.

Notícias