PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Congresso do Paraguai enviará nota de urgência a Cuba para conseguir vacinas

19/04/2021 22h55

Assunção, 19 abr (EFE).- O presidente do Congresso do Paraguai, Óscar Salomón, anunciou nesta segunda-feira que enviará uma "nota de urgência" ao líder da Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba, Esteban Lazo, para pedir que sejam agilizados os procedimentos de aquisição de vacinas do país caribenho, que desenvolve cinco, duas delas na terceira e última fase de ensaios clínicos.

Salomón reuniu-se hoje com o embaixador cubano no Paraguai, Raúl Gortázar, para discutir o progresso da pesquisa de vacinas na ilha e a escassez de doses que o Paraguai está enfrentando.

"O Paraguai está com grande necessidade de vacinas, e decidimos tomar medidas sobre o assunto. Vamos nos comunicar com nossa contraparte na Assembleia Nacional de Cuba e pedir sua intervenção para acelerar esses procedimentos", declarou o presidente do Congresso paraguaio a jornalistas após a reunião com o embaixador cubano.

Por sua vez, o embaixador cubano disse à imprensa que seu país está disposto a "apoiar o Paraguai no que for necessário", mas esclareceu que ainda não recebeu "nada de oficial em relação a esta cooperação".

Gortázar também destacou os "excelentes resultados" que as vacinas de seu país estão tendo nos testes e se referiu, em particular, à Soberana 02, que "ainda não está aprovada para começar a imunizar a população cubana", embora ele esteja confiante de que isso acontecerá em maio.

Cuba lançou "estudos de intervenção controlada" em Havana e no leste do país para administrar massivamente as vacinas Soberana 02 e Abdala.

O governo cubano não adquiriu vacinas no mercado internacional, nem faz parte do mecanismo Covax, criado sob a chancela da Organização Mundial da Saúde (OMS) para promover o acesso equitativo à imunização em países de baixa e média renda.

Por sua vez, o Paraguai comprou 4,3 milhões de doses da vacina da farmacêutica AstraZeneca através do mecanismo Covax, mas até agora recebeu apenas 36 mil.

Notícias