PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Mercedes apresenta o elétrico EQS com painel digital estilo 'nave espacial'

Visual externo do EQS transmite ar futurista, mas sem causar estranheza; modelo é primeiro da marca criado do zero como elétrico - Divulgação
Visual externo do EQS transmite ar futurista, mas sem causar estranheza; modelo é primeiro da marca criado do zero como elétrico Imagem: Divulgação
do UOL

Rodrigo Lara

Do UOL, em São Paulo

15/04/2021 13h29

Carro mais luxuoso da fabricante, o Mercedes-Benz Classe S teve um rival de peso apresentado nesta quinta-feira (15). Seria normal estar falando aqui sobre um novo modelo de luxo da BMW e Audi, tradicionais adversárias da marca de Stuttgart, mas a briga em questão será dentro de casa e o rival atende pelo nome de EQS.

Trata-se da versão de produção do conceito Vision EQS, apresentado no Salão de Frankfurt de 2019 e que chega às lojas ainda neste ano. É um sedã de grande porte e terceiro passo da Mercedes no terreno dos carros de passeio totalmente elétricos, depois do SUV EQC e do compacto EQA. A diferença aqui é que o EQS foi criado do zero para ser um veículo elétrico e sua plataforma deverá originar outros modelos.

Ah, claro: isso também afasta a ideia de que o EQS é um Classe S elétrico.

Assim como seus irmãos menores, o EQS tem visual ousado e futurista, ainda que, obviamente, seja menos exótico do que a sua versão protótipo. A carroceria segue a tendência de "sedã de grandes proporções com traços de cupê". As luzes dianteiras se unem lado a lado por meio de um filete de LEDs - solução também adotada na traseira do modelo.

Mercedes-Benz EQS - Divulgação - Divulgação
Traseira do EQS tem lanternas unidas por filetes de LEDs; carroceria adota linhas bastante limpas e não causa estranheza
Imagem: Divulgação

A grade dianteira, por sua vez, usa o que parece ser um material translúcido, que recobre uma série de pequenas estrelas de três pontas. Lembra um bocado o desenho visto na carenagem traseira dos carros de F1 da equipe alemã.

Painel é grande destaque do interior

O interior reforça ainda mais essa característica, especialmente no painel. Esqueça ponteiros, clusters e até mesmo mostradores digitais em formato mais tradicional: o EQS usa uma tela que estende lateralmente, abrangendo praticamente toda a largura do painel - o que inclui a porção que fica à frente do passageiro - e também desce em direção ao console central.

É algo capaz de fazer parecerem obsoletos até mesmo os tablets de proporções generosas usados como mostradores no EQA e no EQC.

Nesse verdadeiro painel digital, além de mostradores mais convencionais, como o velocímetro, o motorista pode consultar dados sobre o funcionamento do carro como um todo, controlar o sistema multimídia e outros aspectos do veículo. E, claro, ele ajuda muito no aspecto "nave espacial" que o interior do modelo tem.

Mercedes-Benz EQS painel - Divulgação - Divulgação
Painel do EQS, chamado pela marca de Hyperscreen, é uma tela gigante que deixa o interior do carro com visual de nave espacial
Imagem: Divulgação

Os materiais usados em revestimento, claro, são de extrema qualidade e criam uma mescla interessante entre refinamento e tecnologia. E, como tem sido cada vez mais comum em veículos dessa categoria, é possível escolher a cor da luz ambiente do interior.

Potência ecológica

Como é de se esperar em um carro topo de linha da Mercedes, o EQS é bem potente. Ele terá duas versões, a EQS 450+ e a EQS 580 4Matic, sendo que ambas usam um conjunto de baterias de 107,8 kWh. A diferença está na potência gerada pelo motor: enquanto a variante menos potente tem 333 cv de potência e 57,9 kgfm de torque, a mais forte tem 523 cv e 87,1 kgfm.

Isso permite que o 0 a 100 km/h do EQS 450+ seja cumprido em pouco mais de 5,5 segundos, enquanto no caso do EQS 580 4Matic, o número fica próximo dos 4,1 segundos e supera os 4,5 segundos do Classe S560, que tem sob o capô um motor V8 biturbo de 469 cv. A velocidade, por sua vez, é limitada a 210 km/h em ambos os EQS.

Outra diferença entre as versões do EQS está na tração, traseira no caso do EQS 450+ e integral - com motores elétricos também movendo as rodas dianteiras - no EQS 580 4Matic.

Uma preocupação constante quando o assunto são carros elétricos diz respeito à autonomia e, nesse ponto, a Mercedes anunciou que uma carga das baterias é o suficiente para fazer o modelo rodar até 770 km. Isso, claro, depende da forma de condução e também da configuração do carro, mas é um número bastante promissor.

Tesla que se cuide

É claro que um dos alvos do EQS é o Tesla Model S. Ainda assim, a proposta de ambos modelos parece um tanto distinta: enquanto o Mercedes se vira em direção ao luxo, o Tesla enfatiza mais a esportividade.

Isso não impede que ambos os modelos acabem disputando entre si compradores com dinheiro sobrando e preocupação ambiental, especialmente se considerarmos que em mercados como os EUA, o EQS deverá atuar em uma faixa de preço próxima da do Classe S - em torno dos US$ 100 mil -, mesmo terreno onde as versões mais completas do Tesla Model S transitam.

Notícias