PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, comemora vitória da esquerda no Peru

12/04/2021 22h02

La Paz, 13 Abr 2021 (AFP) - O ex-presidente boliviano Evo Morales celebrou nesta segunda-feira (12) a vitória do candidato de esquerda no primeiro turno das eleições presidenciais no Peru, enquanto lamentava a vitória da direita nas urnas no Equador.

"Lamento dizer que ontem em nível internacional nos saímos mal: perdemos no Equador, mas vencemos no Peru no primeiro turno", disse o ex-presidente em evento público na região 'cocaleira' de Chapare, seu reduto político no centro do país.

O professor de esquerda Pedro Castillo liderava nesta segunda a apuração das eleições presidenciais peruanas do domingo, e deve disputar um segundo turno com a direitista Keiko Fujimori.

No Equador, o ex-banqueiro conservador Guillermo Lasso conquistou a vitória sobre o esquerdista Andrés Arauz, o herdeiro político do ex-presidente Rafael Correa.

Castillo venceu "com nossa proposta", afirmou Morales, lembrando que já teve contato com o professor de 51 anos, que saiu do anonimato em 2017 ao liderar uma prolongada greve nacional de professores. "Conversei por telefone uma vez", disse ele sem dar mais detalhes.

Morales, aliado de Correa, já havia manifestado apoio a Arauz. "Se a proposta do povo ganhar" no Equador e no Peru "voltaremos ao projeto integracionista da 'grande pátria' de [Hugo] Chávez, Néstor Kirchner, Lula e Correa" e "renascerá a Unasul", declarou ele no Twitter no domingo, referindo-se ao bloco regional.

Junto com os ex-presidentes da Venezuela, Argentina, Brasil e Equador, Morales foi um decidido promotor da formação da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e outros blocos como a Alba (Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América) e a Celac (Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos).

Morales, que renunciou em 2019 à presidência em meio a uma forte agitação social interna, também antecipou uma derrota nas urnas no domingo em quatro dos nove departamentos da Bolívia. "Acho que perdemos", avaliou o ex-presidente e atual chefe do Movimento ao Socialismo (MAS).

Segundo a contagem oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o MAS está em desvantagem em La Paz, Chuquisaca, Tarija e Pando, diante de uma oposição diversa, enquanto a apuração se aproxima de 80% dos votos.

No primeiro turno, em 7 de março, foram eleitos os governadores de Cochabamba, Oruro, Potosí, Beni e Santa Cruz. Três dos cargos ficaram nas mãos de candidatos governistas e dois, de opositores.

jac/rsr/ic/mvv

Notícias