PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Israel e Reino Unido planejam volta do público aos estádios

Felix Tamsut

26/02/2021 15h34

Israel e Reino Unido planejam volta do público aos estádios - Campanhas de vacinação de sucesso podem acelerar liberação da presença de torcedores em eventos esportivos nos dois países. Enquanto isso, clubes na Alemanha têm planos tímidos por causa da lentidão na imunização.Israel e o Reino Unido, que estão entre os países com as taxas de vacinação mais altas do mundo, dão um pista de como o público brevemente poderá voltar a estar presente em eventos esportivos.

Israel é o líder mundial em doses aplicadas contra covid-19 per capita, com 90 doses administradas por cada 100 pessoas. Um total de 4,6 milhões de pessoas já recebeu a primeira dose, mais da metade da população de 9 milhões de Israel. Mais de 3,2 milhões já receberam a segunda dose.

Quem recebeu a segunda dose tem direito ao chamado Passaporte Verde, que inicialmente tem duração de seis meses e permite aos seus titulares privilégios, amplos como reserva de hotéis, acesso a academias e a shows de música. Vários shows já aconteceram em Israel na semana passada, pela primeira vez em um ano. O Passaporte Verde também é dado aos israelenses que se recuperaram da covid-19.

O sistema provavelmente terá implicações no retorno dos torcedores aos estádios de futebol do país. O Ministério da Saúde de Israel já deu sua aprovação para que 500 torcedores assistam a jogos de futebol, enquanto ginásios de basquete podem receber até 300 espectadores. Alguns clubes de futebol israelenses criticaram o número de torcedores autorizados a comparecer, alegando altos custos de segurança, e exigiram que as autoridades autorizassem que um terço dos estádios sejam ocupados.

O objetivo original da liga de futebol israelense era ter 10 mil torcedores presentes quando dois nomes famosos do futebol do país, Maccabi Tel Aviv e Beitar Jerusalem, se enfrentam no dia 8 de março no estádio Bloomfield de Tel Aviv, com 30 mil lugares. O Ministério da Saúde, no entanto, é contra tal determinação. A decisão de ter um máximo de 5 mil torcedores presentes é esperada na próxima semana.

Outro clube israelense, o Maccabi Haifa, testará um novo sistema de bilheteria que requer que os torcedores façam o upload de uma foto de seu Passaporte Verde ou qualquer outro documento provando que foram vacinados ou se recuperaram da covid-19, antes de poderem comprar os ingressos. Segundo o clube, as informações serão utilizadas apenas para permitir o ingresso e não serão mantidas em nenhum outro banco de dados.

Premier League

Outro país onde a implementação da vacinação contra a covid-19 foi considerada um sucesso é o Reino Unido. Cerca de 18 milhões de pessoas já receberam a primeira dose, o equivalente a mais de um quarto da população de 66 milhões do país. O Reino Unido está em terceiro lugar em doses de vacinação administradas per capita, depois de Israel e dos Emirados Árabes Unidos, e lá, também, os torcedores podem retornar aos estádios em breve.

Diante do plano do governo do Reino Unido de permitir que estádios recebam 10 mil pessoas ou 25% de sua capacidade a partir de 17 de maio, os clubes da Premier League inglesa vão votar se permitem que os torcedores assistam ao último jogo da temporada. Se os clubes votarem a favor da proposta, até 10 mil torcedores poderão entrar nos estádios da Premier League para a 38ª rodada do torneio. Quatorze dos 20 clubes da primeira divisão inglesa precisam votar a favor da mudança para que ela ocorra, de acordo com mídia do Reino Unido. Os jogos aconteceriam em 23 de maio, seis dias após a data em que o governo britânico pretende relaxar ainda mais as restrições da pandemia como parte de seu "roteiro" de fases para acabar com o lockdown.

A mídia do Reino Unido também afirma que a Liga de Futebol Inglesa pode solicitar a presença de torcedores no estádio de Wembley, em Londres, para a final da Carabao Cup em 25 de abril, experiência que pode servir como piloto antes de maio.

Eurocopa na Inglaterra?

O sucesso da campanha de vacinação em Israel e no Reino Unido provavelmente também terá implicações na Eurocopa.

O jornalista italiano Tancredi Palmeri disse que é "muito provável" que o torneio adiado seja realizado na Inglaterra devido à covid-19, embora outros tenham jogado água fria sobre a sugestão. A Uefa tinha originalmente planejado sediar o campeonato em 12 cidades diferentes em todo o continente e permaneceu silenciosa em torno dos rumores, embora tenha dito que o torneio definitivamente será realizado.

A Associação de Futebol de Israel também fez recentemente uma proposta para sediar o torneio, bem como as últimas fases da Liga dos Campeões e da Liga da Europa. A Uefa confirmou que recebeu a oferta israelense, mas afirmou que ainda pretende realizar os torneios "nas cidades que já foram escolhidas".

Atraso na Alemanha

A campanha de vacinação da Alemanha tem sido tudo menos um sucesso até agora. Aproximadamente 3,8 milhões de pessoas receberam a primeira dose, apenas 4% da população de 83 milhões da Alemanha, com 1,9 milhão delas tendo recebido a segunda dose. O número de vacinações administradas per capita é de 6,62, muito atrás de países como Israel e Reino Unido.

Apesar disso, o futebol alemão tenta traçar o retorno dos torcedores aos estádios. A Liga Alemã de Futebol (DFL) e a Federação Alemã de Futebol (DFB) uniram forças com outras associações esportivas e o setor cultural alemão para propor um plano de retorno dos espectadores aos ginásios esportivos e campos de futebol.

De acordo com o plano, as instalações ao ar livre terão aprovação para utilizar entre 35% e 40% da sua capacidade. Por exemplo, o maior estádio de futebol da Alemanha, o Westfalenstadion, do Borussia Dortmund, teria então pelo menos 28 mil torcedores. Nenhum álcool será vendido em jogos com mais de mil torcedores presentes, e os torcedores devem ser obrigados a usar máscaras. Os ingressos seriam personalizados, devendo o espectador apresentar carteira de identidade no portão.

Testes rápidos poderiam ser usados ??no futuro para permitir que o estádio seja ocupado em plena capacidade, com um teste positivo resultando na exclusão da pessoa do evento. Embora se reconheça que os chamados "testes rápidos" não são totalmente seguros, acredita-se que eles contribuiriam para minimizar o risco de infecções. O plano não inclui um prazo específico para implementação, e a mídia na Alemanha informa que, se depender das autoridades, nenhum torcedor deve retornar aos estádios por enquanto.

O governo da Alemanha deve fazer um anúncio na próxima semana sobre seu plano de flexibilizar as medidas de lockdown, atualmente em vigor até 7 de março.


Autor: Felix Tamsut

Notícias