PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Sete mil profissionais e 20 tatuzões constroem o super metrô de Paris

30/10/2020 17h34

As obras de extensão da rede de metrô e trens de subúrbio da região parisiense, projeto chamado "Grand Paris Express", ganham manchete de capa na revista Aujourd'hui en France, o suplemento semanal do jornal Le Parisien. Maior infraestrutura subterrânea em construção na Europa, o super metrô de Paris vai duplicar de 200 para 400 quilômetros o corredor de vias férreas concebido para acompanhar o desenvolvimento da metrópole.

As obras de extensão da rede de metrô e trens de subúrbio da região parisiense, projeto chamado "Grand Paris Express", ganham manchete de capa na revista Aujourd'hui en France, o suplemento semanal do jornal Le Parisien. Maior infraestrutura subterrânea em construção na Europa, o super metrô de Paris vai duplicar de 200 para 400 quilômetros o corredor de vias férreas concebido para acompanhar o desenvolvimento da metrópole.

A escavação começou em 2014 e foram necessários seis anos para abrir 10 quilômetros de túneis. Sete mil profissionais trabalham dia e noite nas obras, seis dias por semana. Se tudo der certo, diz a revista, a construção estará concluída em 2030.

O suplemento visitou um trecho da escavação no subúrbio de Seine-Saint-Denis, ao norte de Paris. A 27 metros de profundidade, "a tuneladora dentada Bantan Diarra - nome da primeira mulher sargento do Corpo de Bombeiros local -, iniciou, em junho, uma viagem de 3,8 quilômetros. "Esse monstro de metal e aço de 100 metros de comprimento e 10 metros de largura lembra um foguete" e é uma das duas tuneladoras ativas naquela área. Os tatuzões são dirigidos a partir de "um posto de pilotagem digno de uma nave espacial", descreve a revista Aujourd'hui en France. Naquele ponto, o canteiro de obras conta com dois guindastes na superfície, que transportam materiais para a entrada do túnel, enquanto duas fábricas de cimento produzem toneladas do material necessário ao revestimento da obra faraônica.

Jogos Olímpicos de Paris

Atualmente, o Grand Paris Express utiliza 20 tatuzões que abrem passagem sob os pés de milhares de pedestres e motoristas da região. Eles avançam ao ritmo de 12 metros por dia, triturando a rocha, removendo a terra e aplicando o revestimento de concreto nos túneis onde os trens do super metrô circularão em alguns anos. As primeiras linhas devem ser inauguradas antes dos Jogos Olímpicos de 2024. Os 200 quilômetros em construção vão abrigar 68 novas estações, por um custo estimado em € 35 bilhões.

As obras, que foram paralisadas durante algumas semanas no primeiro semestre por causa da epidemia de coronavírus, foram retomadas e continuam a todo vapor nos 150 canteiros ativos em torno de Paris.

Notícias