PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro faz teste por suspeita de coronavírus (CNN)

06/07/2020 21h25

Brasília, 7 Jul 2020 (AFP) - O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira (6) à emissora CNN Brasil que se submeteu a um teste por suspeita de contágio do novo coronavírus e que os resultados vão sair nesta terça-feira.

Segundo a emissora, o presidente, um cético da pandemia, contou a um de seus jornalistas que está com alguns sintomas da COVID-19, entre eles febre de 38º, e que fez radiografia dos pulmões no Hospital das Forças Armadas.

Também disse que está tomando hidroxicloroquina preventivamente.

A AFP contatou o gabinete de imprensa do Palácio do Planalto para confirmar a informação, mas não obteve resposta.

Em um vídeo gravado por um dos seguidores com os quais o presidente costuma falar na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro apareceu usando uma máscara branca e disse que tinha acabado de voltar do hospital, onde se submeteu a exames.

"Eu vim do hospital agora, fiz uma chapa do pulmão, tá limpo o pulmão, tá certo? Vou fazer o exame do COVID agora pouco, mas está tudo bem", declarou após advertir que não podia se aproximar muito dos seus simpatizantes.

Segundo veículos de imprensa brasileiros, os resultados do teste serão divulgados na terça-feira por volta do meio-dia e o presidente teria cancelado preventivamente seus compromissos oficiais esta semana.

Em sua agenda desta terça, consta uma reunião com o ministro da Secretaria do Governo, Luiz Eduardo Ramos, à tarde.

O mandatário, de 65 anos, já tinha se submetido anteriormente a três exames para o coronavírus. Em maio, foi obrigado pelo Supremo Tribunal Federal a entregar os resultados, que deram negativo.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem minimizado a gravidade da doença e participado de vários eventos públicos sem máscara, além de criticar as medidas de isolamento social implementadas em vários estados e municípios.

No sábado, Bolsonaro publicou fotos nas redes sociais nas quais aparece com o rosto descoberto junto a vários ministros e do embaixador de Washington em Brasília, durante almoço de celebração do Dia da Independência dos Estados Unidos.

E nesta segunda-feira vetou outros dois artigos da lei sobre o uso de máscaras em locais públicos para enfrentar a pandemia em Brasil, o segundo país do mundo em número de mortos e de casos confirmados depois dos Estados Unidos.

De acordo com o último balanço oficial desta segunda-feira, 1,6 milhão de pessoas foram contaminadas e 65.487 morreram por COVID-19 no Brasil.

km/ja/ge/mvv

Notícias