PUBLICIDADE
Topo

Demanda por armas dispara nos EUA mesmo para um ano eleitoral

Catherine Leffert

02/07/2020 13h31

(Bloomberg) -- Americanos se apressam em comprar armas em meio à pandemia de Covid-19 e manifestações contra a violência policial. A corrida presidencial nos EUA também ajuda a impulsionar uma demanda sem precedentes.

As verificações de antecedentes para compras de armas de fogo compiladas pelo FBI, um indicador da demanda por armas, subiram para um recorde em junho em meio às manifestações nos EUA, dando continuidade à tendência de alta iniciada em março, quando a pandemia de coronavírus provocou paralisações em todo o país.

A maior demanda puxa ações das fabricantes de armas Smith & Wesson Brands e Sturm Ruger, depois de quatro anos em sua maioria magros para investidores. Proprietários de lojas de armas e analistas de Wall Street preveem contínuo aumento das vendas, especialmente se os protestos continuarem. O presidenciável democrata Joe Biden, que apoia mais restrições às armas de fogo, mantém a liderança nas pesquisas nacionais em relação ao presidente Donald Trump.

As vendas de armas geralmente são elevadas em ano de eleições presidenciais, "particularmente no outono à medida que nos aproximamos das eleições", disse Peter Keith, analista da Piper Sandler. "Acho que provavelmente veremos uma forte demanda contínua em torno da agitação civil e do tema de diminuir o orçamento da polícia em julho e agosto."

Keith prevê mais ganhos para ações de fabricantes de armas, especialmente devido à relativa escassez de papéis ligados à demanda por armas de fogo. Muitos varejistas reduziram as vendas após os numerosos tiroteios nos EUA nos últimos anos.

O preço da ação da Smith & Wesson mais do que dobrou neste ano, para US$ 21,95, tendo subido na quarta-feira para o maior nível maior em quase três anos. Desde janeiro, a ação da Sturm Ruger avançou 62%, para o nível mais alto desde 2016. A Sturm Ruger não respondeu a pedidos de comentário, enquanto A Smith & Wesson não quis comentar.

Novatos

Dave Brown, produtor de mídia de Dallas, disse que tomou a decisão de comprar uma arma no fim de maio, depois que viu pessoas quebrando janelas em um restaurante perto de seu apartamento. Ele disse que as manifestações duraram até 2h30 e, ao meio-dia, estava comprando uma pistola de nove milímetros por US$ 450 e US$ 100 em munição.

"Este é um momento em que ninguém sabe o que vai acontecer na cidade no dia seguinte", disse Brown, de 41 anos. "Muitas pessoas estão inseguras, assustadas."

Michael Bloomberg, proprietário da Bloomberg LP, controladora da Bloomberg News, fundou e ajuda a financiar a Everytown for Gun Safety, uma organização sem fins lucrativos que defende a verificação universal de antecedentes e outras medidas de prevenção da violência armada.

©2020 Bloomberg L.P.

Notícias