PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro defende atraso em boletins de covid para "não atender a Globo"

do UOL

Do UOL, em São Paulo

05/06/2020 19h25Atualizada em 05/06/2020 21h42

O presidente Jair Bolsonaro defendeu hoje a divulgação mais tardia dos números de casos e óbitos causados pelo novo coronavírus no Brasil. Nos últimos dois dias, o Ministério da Saúde fez a publicação dos dados após as 22h (horário de Brasília), três horas depois do habitual nas últimas semanas, o que deve se repetir hoje. No começo da pandemia, a Pasta, então comandada por Luiz Henrique Mandetta, divulgava as atualizações por volta das 17h.

Questionado por repórteres na porta do Palácio da Alvorada sobre o novo horário da divulgação, Bolsonaro disse que "agora acabou matéria no Jornal Nacional". Depois, disse que apoia a ação do Ministério da Saúde porque "tem que divulgar os dados consolidados do dia". No entanto, os números que têm sido publicados ainda se referem a atualizações feitas até as 19h, e não até 22h.

O presidente voltou a citar a Globo, sugeriu que as reportagens mais "consolidadas" sejam feitas no Fantástico, programa semanal exibido aos domingos, e disse que o Ministério da Saúde não tem obrigação de atender a emissora ao ser perguntado se partiu dele a ordem para atrasar a divulgação dos balanços.

"Não interessa quem deu a ordem, acho que é justo sair dez da noite com os dados mais consolidados. Ninguém tem que correr para atender à Globo". Bolsonaro ainda chamou a empresa de "TV Funerária". "Se ficar pronto antes, tudo bem, mas ninguém vai correr até as nove para atender a Globo, a TV Funerária", completou.

A Globo se manifestou por meio de nota oficial. "O público saberá julgar se o governo agia certo antes ou se age certo agora. Saberá se age por motivação técnica, como alega, ou se age movido por propósitos que não pode confessar mais claramente. Os espectadores da Globo podem ter certeza de uma coisa: serão informados sobre os números tão logo sejam anunciados. Porque o jornalismo da TV Globo corre sempre para atender o seu público", disse a emissora.

Apesar da fala de Bolsonaro, o Jornal Nacional não é o único telejornal brasileiro afetado pelo atraso na divulgação dos dados oficiais da pandemia no Brasil. No período da noite, outras emissoras de TV aberta colocam suas edições no ar, como o SBT, a Band, Record e RedeTV!. Jornais de circulação nacional também ficam prejudicados com prazos menores para o fechamento de suas edições diárias.

Na edição de ontem, o Jornal Nacional citou os atrasos e anunciou que passará a noticiar diariamente, quando o Ministério da Saúde não tiver divulgado seu balanço oficial, uma compilação própria com números divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde.

Notícias