PUBLICIDADE
Topo

Brasil tem pior dia da pandemia e passa de 30 mil mortes

02/06/2020 20h08

SÃO PAULO, 2 JUN (ANSA) - O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (2) que o Brasil registrou mais 1.262 mortes pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) nas últimas 24 horas, o maior número diário já registrado desde o início da pandemia. O recorde anterior era do dia 21 de maio, com 1.188 vítimas em um dia. Com a quantidade, o país chega a 31.199 falecimentos em decorrência da Covid-19, ocupando o quarto lugar no ranking mundial com mais mortes, atrás de Itália (33.530), Reino Unido (39.451) e Estados Unidos (106.046), de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins. O governo brasileiro ainda informou que existem 555.383 pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus, com um acréscimo de 28.936 casos em 24 horas. Levando em consideração apenas os diagnósticos, o Brasil aparece atrás apenas dos Estados Unidos, que tem mais de 1.8 milhão de casos.   


Ao todo, 300.546 pacientes estão em acompanhamento médico, o equivalente a 54,1%, enquanto que 223.638 estão recuperados (40,3%). A quantidade de óbitos, no entanto, não significa necessariamente que todas as pessoas perderam a vida entre ontem e hoje. Desde o início da pandemia, o Ministério da Saúde tem atualizado os números com atraso. Desta forma, foram acrescentadas 367 mortes que foram registradas nos últimos três dias. Além disso, de acordo com a pasta, outros 4.312 óbitos estão sob investigação.   


São Paulo continua sendo o epicentro da doença, com mais casos e mortes. No total são 118 mil confirmações e ao menos 7,9 mil mortes. Hoje, o estado bateu recorde de novos casos e mortes por Covid-19 em apenas um dia, foram 327 mortes e 6.999 casos. O Rio de Janeiro, por sua vez, aparece na sequência, com 56 mil infectados e 5,6 mil mortes. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Notícias