PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Suriname e seu partido pedem recontagem dos votos

28/05/2020 22h44

Paramaribo, Suriname, 29 Mai 2020 (AFP) - O partido que governa o Suriname pediu nesta quinta-feira (28) uma recontagem dos votos das eleições gerais de segunda, informaram a formação e o presidente, Desi Bouterse, depois que resultados preliminares deram a vitória à oposição.

Se a derrota foi confirmada, será o fim de uma década de Bouterse no poder. Ex-militar, ele foi condenado há alguns meses por ordenar o assassinato de opositores em 1982.

Os primeiros resultados deram a vitória ao principal partido opositor, o VHP.

Mas o processo de contagem no país sul-americano exportador de petróleo e ouro foi caótico e tanto o governo quanto os partidos da oposição denunciaram irregularidades.

"Haverá um protesto. Bamos pedir uma recontagem e pedir que todas as pessoas possam ver onde cada um venceu", disse Bouterse em suas primeiras declarações públicas após as eleições.

O controverso presidente de 74 anos propôs que a recontagem seja transmitida pela TV para garantir total transparência no processo.

O prota-voz do partido governista, Melvin Bouva, disse que a recontagem será solicitada em dous ou três dos 10 distritos eleitorais.

Quatro partidos opositores deram uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira para expressar sua preocupação com as irregularidades.

No entanto, o líder do VHP, Chan Santokhi, pediu ao governo que aceite sua derrota, que as pesquisas de opinião tinham previsto.

"Governo, aceite sua derrota e nos dê espaço para a transição. Deixe que as autoridades façam seu trabalho", disse.

Santokhi iniciou contatos com outros dois partidos opositores para formar uma coalizão.

Segundo os primeiros resultados, o partido de Santokhi obteria 20 dos 51 assentos do Parlamento, encarregado de eleger o presidente. Enquanto o NDP ficaria com 16 dos 26 assentos que tinha, o que poria fim à sua maioria na Câmara.

Os partidos opositores descartaram formar uma coalizão com Bouterse.

Em um informe preliminar na quarta-feira, observadores da Organização dos Estados Americanos denunciaram "cenas de desordem, juntamente com níveis elevados de tensão" no principal centro de votação da capital, Paramaribo.

Também tachou de "preocupante" "uma interação" entre o presidente e a autoridade eleitoral no dia das eleições.

Bouterse foi eleito presidente da antiga colônia holandesa em 2010. Antes, chegou ao poder em 1980 e governou por sete anos. Depois de um golpe de Estado, voltou ao cargo brevemente em 1990.

Em novembro do ano passado, uma corte militar o condenou a 20 anos de prisão por ordenar a execução de 15 opositores em 1982.

str-db/ch/dga/mvv

Notícias