PUBLICIDADE
Topo

Aluno da USP morre por covid-19; moradores do CRUSP recebem kit de limpeza

A vítima foi um estudante do Instituto de Química identificado como V. L. T - Divulgação/Agência USP
A vítima foi um estudante do Instituto de Química identificado como V. L. T Imagem: Divulgação/Agência USP
do UOL

Do UOL, em São Paulo

28/03/2020 19h00

A Superintendência de Assistência Social da USP (Universidade de São Paulo) enviou hoje um comunicado aos moradores do CRUSP (Conjunto Residencial da USP) informando que houve uma morte por coronavírus no Hospital Universitário.

A vítima foi um estudante do Instituto de Química identificado como V. L. T, de 56 anos. Ele cursava graduação na instituição. Segundo orientação da prefeitura, não haverá velório.

"Lamentamos profundamente o falecimento do nosso aluno. O Serviço Social e o Escritório de Acolhimento em Saúde Mental estão em contato com a família do estudante para oferecer suporte nesse difícil momento", disse USP, em comunicado.

O UOL teve acesso ao e-mail em que a USP reforça o pedido de isolamento domiciliar e as medidas de higienização para ajudar no combate ao coronavírus. A Universidade informou que há um enfermeiro de plantão pelo campus para tirar dúvidas de estudantes e moradores sobre a pandemia.

"Todos os apartamentos do CRUSP receberam a primeira parte do kit de limpeza, contendo água sanitária, detergente e sacos de lixo", disse a USP. Na próxima semana, os moradores receberão desinfetante, limpador multiuso, sabão em pedra e álcool gel.

A USP havia confirmado no dia 11 o primeiro caso de coronavírus no campus. As aulas apenas no Departamento de Geografia, onde o aluno infectado estuda, foram suspensas após a informação. Dois dias depois, a USP confirmou o segundo caso de coronavírus, em um estudante da Escola Politécnica (Poli).

USP e Universidade Estadual Paulista (Unesp) suspenderam as aulas no dia 17. Já a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) fechou seu campus no dia 13.

O fechamento chegou a causar mal-estar entre o governo e as instituições, que têm autonomia para decisões administrativas. O governador João Doria (PSDB) criticou a Unicamp no dia 12 por ter decidido suspender as atividades antes de uma determinação estadual.

"Nós obviamente respeitamos a autonomia das universidades, mas a questão da Saúde não é questão de autonomia. Nós não temos estados independentes, não é o Vaticano dentro do Brasil, nem Vaticano dentro de São Paulo", disse o tucano, em entrevista à "GloboNews".

"Ao nosso ver, resguardado as razões que motivaram a Unicamp a suspender as aulas, mas, de maneira geral, não há necessidade de medidas dessa natureza. Nós não queremos nem nem desvalidar as preocupações, mas de maneira generalizada, não há esta necessidade", disse o governador.

No entanto, no dia seguinte acabou suspendendo as atividades em todas as instituições de ensino públicas e privadas de São Paulo.

Marcelo Knobel, reitor da Unicamp, defendeu a decisão e disse "pecar pelo excesso de zelo do que pela omissão".

Número de mortos

O Ministério da Saúde informou na tarde de hoje que subiu para 114 o número de mortos por coronavírus no Brasil, mas não se sabe se a morte do aluno da USP já foi computada.

O país tem 3.904 casos oficiais da doença.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Notícias