PUBLICIDADE
Topo

6 itens para ficar de olho ao procurar um carro em tempos de quarentena

Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

do UOL

Colunista do UOL

26/03/2020 04h00

Vivemos algo inédito e estamos todos sem saber exatamente o que vai acontecer nos próximos dias. Fato é que está tudo - ou quase tudo - parado no universo dos carros. Fábricas paralisaram as linhas de produções. Lojas e concessionárias fecharam as portas. Nem mesmo os cartórios estão atendendo. Como negociar um carro usado nessas condições?

Nesse momento, resta apenas o planejamento para a futura compra. E como devemos evitar ao máximo o contato com outras pessoas, o melhor é recorrer aos classificados.

Na minha profissão de Caçador de Carros, o maior desafio é desvendar o anúncio para decidir se ele vale ou não uma visita. Eu ganho muito tempo quando faço um bom trabalho de triagem e evito sair para avaliar um carro ruim. O desafio é justamente esse, descobrir os possíveis problemas de um carro, antes mesmo de avaliá-lo pessoalmente.

Priorizo sempre a originalidade do veículo e anúncios bem escritos, nos quais o vendedor descreve o automóvel com honestidade, sem omitir detalhes e histórico. Atente para os cinco pontos abaixo:

Preço

Muitos clientes já me pediram para avaliar um carro que parecia ser o melhor negócio do mundo. Mas bastava ver o preço para saber que havia algo errado.

A questão é simples: você venderia seu carro por um valor muito abaixo do praticado no mercado? Lembro de um pedido para avaliar um Honda Civic 2014 anunciado por R$ 10 mil abaixo do preço médio de tabela.

Um bom Civic jamais é vendido tão abaixo, ainda mais que a quilometragem era baixa e o anunciante não descreveu nenhum possível defeito do carro, seja por escrito no anúncio ou na conversa pelo telefone.

Avisei meu cliente que minha percepção era de que tinha algo errado e que não valeria a pena avaliar esse carro. Ele insistiu pela avaliação, pois não queria perder a oportunidade de pagar barato por carro reconhecidamente bom de mercado.

Avaliei o carro e, depois de checar toda a parte de documentação, descobri que o veículo tinha passagem por leilão, o que automaticamente faz o preço do carro cair, seja qual for o motivo. O anunciante omitiu essa informação até onde pôde, mas felizmente descobri antes de meu cliente fechar o que seria um mau negócio.

Preços muito baixos podem indicar que o automóvel tem algum histórico negativo - leilão, sinistro ou documentação atrasada - ou então um grande problema mecânico.

Eu diria que apenas carros tidos como ruins de mercado podem ser anunciados com preços abaixo da média, pois são casos em que o dono precisa dar um bom desconto para tentar se desfazer do modelo.

Outra situação curiosa - e aí incluo quem quer um 0km - é a dos anúncios de carros novos com preços muito abaixo dos praticados pelas concessionárias.

Quem não quer um carro novo com preço de usado? Mas isso não existe! Já tive a curiosidade de entrar em contato com algumas dessas pessoas, e a negociação é bem difícil de entender.

Dizem trabalhar dentro das fábricas e que por isso conseguem desconto. O detalhe é que pedem ao comprador em potencial que pague antes de ver o carro. Grandes chances de se tratar de um golpista. O recado é esse: não perca tempo com anúncios com preços muito baratos.

Fotos

Não é preciso ser fotógrafo profissional para tirar fotos com qualidade. Ainda mais com a tecnologia das câmeras dos celulares de hoje. Mas é impressionante o número de anúncios com fotos péssimas, tremidas, escuras e embaçadas. Ou ainda que exibem apenas um dos lados do carro ou não mostram seu interior. Estaria o dono querendo omitir algum detalhe?

Algo que deve ser observado nas fotos é a paisagem onde o carro está. Quando vejo uma garagem toda desorganizada, imagino a mesma falta de atenção com a manutenção do carro.

E quanto aos vendedores que colocam fotos de divulgação nos anúncios? Estes são caras de pau mesmo, pois não têm coragem sequer de mostrar o próprio carro.

Se o interesse pelo carro for grande, por um conjunto de pontos positivos, como baixa quilometragem e opcionais, peça que o anunciante envie boas fotos em uma conversa privada. Só assim para ter uma boa noção do veículo que está sendo negociado.

Com a disponibilidade de boas fotos, observe se tem alguma diferença de cor entre as peças de lataria e se tem algum desalinhamento visível. Claro que as fotos podem enganar e você só descobrir esses detalhes na avaliação presencial, mas muitas vezes é possível identificar antes.

Originalidade

Pesquise todos os detalhes do carro que procura. Procure por fotos do modelo na Internet, em sites de avaliações de quando o carro era zero-quilômetro. Repare na altura da suspensão, desenho das rodas, para-choques e grades, local certo de todos os logotipos e emblemas, e qualquer outro aspecto para poder comparar com o carro do seu interesse.

Não é incomum me deparar com carros que estão com grade de um ano diferente, ou então com os emblemas no lugar errado. Esses são indícios de um carro que pode ter sofrido uma colisão e, no reparo, não se atentaram a originalidade dele.

Eu desconfio de veículos assim e nem prossigo com a negociação. É o tipo de automóvel que não compraria para mim - e, portanto, jamais indicaria para qualquer cliente.

Contato

Quem quer vender precisa ter disponibilidade, ao menos, para atender uma ligação telefônica ou responder a uma mensagem. Claro que isso não precisa acontecer durante as 24 horas do dia. Mas também não dá para aceitar dias sem nenhuma posição do vendedor. Muitas vezes o telefone anunciado não existe, ou então só cai na caixa postal, forçando a comunicação por e-mail.

Infelizmente, tivemos uma onda recente de clonagem de celulares através dos anúncios. Os golpistas ligavam para os vendedores, se passavam pela empresa que ele estava anunciando o carro e conseguiam dados pessoais, que terminava na clonagem do celular. Por conta disso, hoje é muito comum que os vendedores omitam seus telefones.

Na conversa por email ou pelo chat do classificado, eu até converso bastante para tirar as dúvidas sobre o carro, mas só vou em frente depois de ter o contato telefônico do vendedor. Na insistência de não querer passar essa informação, desisto do carro.

Descrição

Como já disse, valorizo anúncios com boas descrições de pontos positivos e negativos do carro. Confirme todas essas informações, pois é comum o anunciante "aumentar" um pouco os pontos positivos.

Por exemplo, muitos anunciam "único dono" e "todas as revisões feitas em concessionária". Algumas vezes isso é verdade, mas na maioria delas é conversa para se destacar de outros anúncios.

Perguntas

Aqui não existe um padrão, pois pode variar bastante de carro para carro. Mas basicamente, depois de ter confirmado as informações que já estão no anúncio, é importante saber sobre histórico da documentação, se já sofreu colisão ou se tem comprovantes das manutenções que foram feitas.

Também vale questionar se o veículo tem cheiro de cigarro ou de animais de estimação, a condição dos pneus, se tem manual e chave reserva e, por fim, saber quanto tempo a pessoa está com o carro e por que pretende vender. Nessa última pergunta, o vendedor pode até omitir a verdade, mas você vai conseguir identificar isso numa possível contradição com as outras respostas.

Vale ressaltar que as dicas acima significam apenas os primeiros passos de uma possível (boa) negociação. Depois desta etapa vem a avaliação pessoal, na qual é preciso observar uma série de outros detalhes. E num momento como o que estamos vivendo, essa etapa provavelmente ficará para o futuro, que espero não ser muito distante.

Notícias