Topo

Pequim denuncia provocação americana no Mar da China Meridional

Reprodução
Imagem: Reprodução

22/11/2019 06h03

A China acusou hoje os Estados Unidos de "provocação" pela passagem esta semana de dois navios de guerra perto de arquipélagos reivindicados por Pequim no Mar da China Meridional, em meio a crescentes tensões entre os dois países.

O gigante asiático reivindica parte do Mar da China Meridional, uma área também cobiçada por Taiwan, Filipinas, Brunei, Malásia e Vietnã.

A Marinha dos Estados Unidos realiza com frequência operações nessa região, alegando que se destinam a fortalecer a "liberdade de navegação".

Os Estados Unidos disse que um de seus navios, Gabrielle Giffords, passou na quarta-feira perto do arrecife Mischief, no arquipélago de Spratly.

Já o destróier Wayne E. Meyer navegou na quinta-feira perto das Ilhas Paracels, disse à AFP o comandante Reann Mommsen, porta-voz da 7ª Frota, com sede no Japão.

A China enviou navios militares para identificar e monitorar os navios americanos e pediu que se afastassem da área, informou o Comando Sul do Exército Popular de Libertação (EPL, Forças Armadas Chinesas) em comunicado.

"Pedimos aos Estados Unidos que pare com esse tipo de comportamento provocativo e arriscado, para evitar incidentes imprevistos", alertou o Exército chinês.

Além disso, disse que a insistência de Washington na "liberdade de navegação" era apenas um "pretexto".

Tradicionalmente, Pequim delineia em seus mapas a porção do Mar da China Meridional sobre a qual afirma ter soberania territorial.

No entanto, o comandante Mommsen disse que os Estados Unidos continuarão "navegando e agindo onde o direito internacional permitir, independentemente de reivindicações marítimas abusivas e do contexto geral".

A China e os Estados Unidos estão envolvidos em uma guerra comercial há um ano e meio e, nos últimos meses, sofreram atritos com a situação em Hong Kong.

Notícias