Topo

Canadá vota em legislativas que definirão futuro governo

21/10/2019 17h20

Montreal, 21 Out 2019 (AFP) - Um segundo mandato para Justin Trudeau ou uma mudança rumo ao conservador Andrew Scheer? Os canadenses votam nesta segunda-feira (21) para decidir quem formará o seu próximo governo, em eleições legislativas cheias de suspense.

Os primeiros centros de votação abriram em Terre-Neuve e Labrador, no leste do país, às 11h00 GMT (8h00 de Brasília). O Canadá tem seis fusos horários e os últimos eleitores votarão no oeste (Colúmbia Britânica) até 02h00 GMT de terça-feira (23h00 desta segunda no horário de Brasília).

Os primeiros resultados, porém, são esperados a partir das 23h00 GMT (20h00 de Brasília) desta segunda-feira.

Depois de uma longa campanha, às vezes acirrada, o premiê Trudeau votou pela manhã em Montreal, acompanhado de sua esposa e seus três filhos, sem dar declarações.

Seu rival, Scheer, depositará sua vontade na tarde em Regina, na província de Saskatchewan.

Um total de 27,4 milhões de canadenses estão registrados para definir os 338 legisladores. Se os resultados das pesquisas forem confirmados, a votação encerrará a maioria absoluta garantida por Trudeau desde a sua vitória em 2015.

Após 40 dias de campanha, os dois grandes partidos que se alternam no poder desde 1867 terminam como começaram: em empatados nas intenções de voto, algo que não era visto em décadas, de acordo com analista.

As pesquisas mais recentes dão aos liberais de Trudeau (centro) entre 31% e 34% das intenções de voto e aos conservadores (direita) entre 32% e 33%.

De acordo com as projeções, estes números não permitirão que nenhuma das principais formações supere a barreira dos 170 assentos que garantem a maioria absoluta.

Michel Mercer, morador de Montreal, votou nos liberais, mas sem muita convicção.

"Preferi votar para evitar ter um governo minoritário, porque eu tenderia a ir para o NPD [partido Novos Democratas, esquerda], mas me desagrada ver os conservadores no poder", disse à AFP.

Ao contrário, Murray Lutzer, morador de Regina, reduto de Scheer, elegeu os conservadores. "Não quero mais quatro anos de domínio liberal", disse.

- Fator juventude -Em caso de governo minoritário, o futuro primeiro-ministro, liberal ou conservador, deverá ter o apoio de partidos menores para obter a maioria na Câmara dos Comuns.

Formações como o partido Novos Democratas (NPD) de Jagmeet Singh, terceiro nas pesquisas (20%), ou os independentistas do Bloco de Quebec, liderados por Yves-François Blanchet, serão fundamentais.

Último grande partido na disputa, os Verdes de Elizabeth May transmitiram sua mensagem de urgência climática, embora a questão ambiental tenha sido uma das dominantes nos debates.

Aos 47 anos, Trudeau não tem mais a vantagem da juventude - já que Scheer e Singh têm 40 anos - nem da novidade, fatores que o levaram ao poder em 2015 contra o conservador Stephen Harper.

Além disso, o líder liberal termina seu mandato afetado por vários escândalos. Sua popularidade caiu após um caso de interferência política em um processo judicial e pela publicação de fotos dele fazendo blackface.

- Suspense total -Ao longo da campanha, Trudeau defendeu sua gestão: economia sólida, legalização da maconha, imposto sobre o carbono, acolhida de milhares de refugiados sírios, acordos de livre comércio assinados com a Europa e Estados Unidos e México.

Por sua vez, Scheer prometeu retomar o equilíbrio orçamentário e reduzir os impostos com um objetivo simples: "devolver o dinheiro aos bolsos dos canadenses".

O jovem conservador, pai de cinco filhos e formação católica, também tentou compensar sua imagem opaca com uma série de ataques contra Trudeau. Mas não escapou da polêmica: por sua hostilidade pessoal em relação ao aborto, a revelação tardia de sua dupla cidadania canadense e americana ou suspeitas de que ordenou uma campanha contra seu rival Maxime Bernier.

A poucas horas desta jornada eleitoral, o suspense continua total. Embora o sistema eleitoral canadense preveja que um premiê pode continuar no poder mesmo que seu partido perca a maioria se conseguir a confiança da maioria da Câmara dos Comuns, Scheer tem se declarado contrário a esta perspectiva.

Assim, o conservador acusou Trudeau de negociar nos bastidores com o NPD para se manter no poder, mesmo que seu partido perca a maioria nas urnas.

bur-iba/AB/lda/mr/mvv

Notícias