Topo

Único hospital de Barão de Cocais (MG) pode ficar ilhado se barragem romper

Luciana Quierati/UOL
Hospital de Barão de Cocais, que pode ficar ilhado em caso de rompimento da barragem da Vale Imagem: Luciana Quierati/UOL
do UOL

Luciana Quierati

Do UOL, em Barão de Cocais (MG)

2019-05-26T17:17:58

26/05/2019 17h17

O único hospital de Barão de Cocais (MG) pode ficar ilhado caso haja o rompimento da barragem Sul Superior da mina de Gongo Soco. Isso porque as principais vias de acesso à unidade de saúde estão localizadas no trecho da região central que pode ser atingido pela lama de rejeitos.

A barragem, em nível máximo para rompimento desde 22 de março, pode ter sua situação agravada com a queda de uma parede (talude) da cava da mina, o que pode acontecer a qualquer momento. Dona do complexo, a Vale diz que não há elementos técnicos que indiquem que a barragem possa ser afetada.


Como medida de prevenção e para evitar contratempos caso o rompimento ocorra, a Defesa Civil solicitou à mineradora a construção de dois acessos por áreas de mata, que permitam a passagem de ambulâncias.

"Temos um heliponto bem próximo e, no caso de remoção de pacientes, podemos fazer de helicóptero. Mas não seria o suficiente", explica o capitão Júnior Silvano Lopes, da Defesa Civil do estado.

Luciana Quierati/UOL
Mapa de Barão de Cocais com os pontos de encontro e a quantidade de pessoas que devem ser recebidas em cada um no caso de rompimento da barragem Sul Superior Imagem: Luciana Quierati/UOL

Os acessos também serviriam para o tráfego de carros de menor porte dos moradores que podem precisar se deslocar para outras partes da cidade em busca de alimento, por exemplo.

As obras, porém, ainda não ficaram prontas. O secretário de fiscalização do município, Douglas Pena, explica que a Vale, responsável por fazer os acessos, precisou primeiro obter autorização da prefeitura para poder abrir as estradas.

Na quinta e sexta-feiras, funcionários da empresa fizeram a capina ao longo do percurso, e amanhã deve chegar maquinário para alargamento dos dois trechos e conclusão da obra, ainda sem data prevista, segundo Pena.

O percurso

Os caminhos integrarão o hospital e moradores do bairro Viúva à Fazenda Soledade, que é um dos sete pontos de encontro dos moradores em caso de emergência, e, na sequência, ao distrito de Brumal, na vizinha Santa Bárbara, onde há um dos quatro hospitais de sobreaviso para atendimento de possíveis vítimas - unidades de Itabira e de Belo Horizonte também têm leitos preparados.

Luciana Quierati/UOL
Capela de Nossa Senhora Aparecida, que as ambulâncias teriam que contornar para pegar a estrada alternativa que terá início atrás da construção Imagem: Luciana Quierati/UOL

Para acessar os caminhos, as ambulâncias e demais carros terão de contornar a pequena capela de Nossa Senhora Aparecida, conhecida como a "capela do cruzeiro", em um dos pontos mais altos da cidade, que pode ser vista a quilômetros de distância.

Malas prontas, remédios separados: idosos se preparam para o pior em MG

UOL Notícias

Mais Notícias