Topo

General iraniano acusa Paquistão de apoiar grupo que cometeu atentado

2019-02-16T08:40:00

16/02/2019 08h40

Teerã, 16 Fev 2019 (AFP) - O chefe da Guarda Revolucionária iraniana acusou as "forças de segurança do Paquistão" de apoiar o grupo que cometeu o atentado suicida na quarta-feira, no qual 27 soldados morreram, em declarações transmitidas pela televisão estatal neste sábado (16).

"O governo paquistanês, que tem abrigado esses contrarrevolucionários que constituem uma ameaça para o Islã, sabe onde estão e que têm o apoio das forças de segurança do Paquistão", declarou o general de divisão Mohammad Ali Jafari, sobre o grupo separatista extremista Jaish al-Adl ("Exército da Justiça").

O governo paquistanês "deve responder a este crime. Se não puni-los, faremos represálias contra estas forças contrarrevolucionárias e o Paquistão assumirá as consequências de seu apoio ao grupo", acrescentou o general Jafari, comandante supremo do Exército ideológico da República Islâmica.

O general fez estas declarações na noite de sexta-feira durante uma cerimônia em homenagem às vítimas do ataque, que será enterradas no sábado na província de Isfahan após uma celebração religiosa nesta cidade do centro do Irã.

O general Jafari também atacou o "apoio de Estados reacionários" como "Arábia Saudita e Emirados" Árabes Unidos aos "complôs" tramados por "israelenses e americanos" contra a República Islâmica do Irã.

"Certamente adotaremos medidas de retaliação", acrescentou, sem dar detalhes.

amh-mj/hj/erl/ra/cb

Mais Notícias