PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Fundada por irmãos roqueiros, Prevent Senior teve faturamento de R$ 4,3 bi

Vinícius Valfré

Brasília

23/09/2021 17h02

Alvo de denúncias por condutas anticientíficas e antiéticas no tratamento da covid-19, a Prevent Senior é uma das maiores operadoras de planos de saúde do País, com mais de meio milhão de clientes. A firma cresceu significativamente na pandemia. Em 2020, o faturamento líquido alcançou R$ 4,3 bilhões, ante R$ 3,6 bilhões em 2019.

Os primeiros pacientes com covid-19 no Brasil foram atendidos no Hospital Sancta Maggiore, o principal da rede. A primeira morte reportada no País ocorreu na unidade.

Com o avanço da pandemia, a Prevent passou a disseminar tratamento com remédios ineficazes, e atribuía a recuperação de pacientes a medicamentos como hidroxicloroquina.

O fundador e CEO da Prevent Senior é o médico Fernando Parrillo, de 52 anos. Além do cargo na companhia, ele é guitarrista da banda de rock Doctor Pheabes, que já se apresentou no Lollapalooza, em 2015. O vocalista do grupo é Eduardo Parrillo, irmão de Fernando e responsável técnico da Prevent.

Os irmãos Parrillos saíram de uma pequena empresa de remoção de pacientes, em meados dos anos 1990, para um império da saúde suplementar.

A relação de Fernando e Eduardo com negócios de saúde começou em 1996, com a compra de uma ambulância. Pouco tempo depois, surgiu a oportunidade de comprar uma pequena clínica.

Foi aí que começou o planejamento, com o restante da família, de um sistema que se tornaria um plano de saúde. Com um modelo de negócios voltado ao tratamento de idosos, a companhia é considerada pioneira na área no País.

As primeiras polêmicas da Prevent na pandemia surgiram pouco depois da chegada do vírus ao Brasil. Inspeção no Sancta Maggiore, em março de 2020, encontrou indícios de que cinco mortes provocadas por covid-19 não haviam sido relatadas às autoridades públicas de São Paulo.

No mês seguinte, o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, criticou a empresa por promover "aglomeração de idosos".

A Prevent ainda apareceria em investigação da Polícia Civil e do MP de São Paulo por suposta pressão para que médicos receitassem "kit covid".

No índice de abertura de processo administrativo da ANS, a Prevent é a 7ª na lista de reclamações. A operadora se diz alvo de difamação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Notícias