PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Conselho de Segurança da ONU está preocupado com "ameaças da Coreia do Norte", segundo a França

15/09/2021 20h55

Nações Unidas, Estados Unidos, 15 Set 2021 (AFP) - O Conselho de Segurança da ONU se reuniu com urgência nesta quarta-feira (15) para debater o lançamento do último míssil balístico da Coreia do Norte e expressou preocupação com a "grande ameaça" à paz, disse o embaixador francês na ONU, Nicolas de Rivière.

A sessão à porta fechada foi solicitada pela Estônia e pela França.

No passado, essas reuniões de emergência após o lançamento de mísseis pela Coreia do Norte muitas vezes terminavam com a publicação de uma declaração conjunta dos membros europeus do Conselho de Segurança.

"Todos nós condenamos o que aconteceu. Todos estão muito preocupados com esta situação", declarou De Rivière à imprensa após a reunião, que durou cerca de uma hora.

"É uma grande ameaça à paz e à segurança, é uma clara violação das resoluções do Conselho", acrescentou, dizendo que os mísseis "caíram na zona econômica exclusiva do Japão".

"É claro que precisamos de um diálogo político, de uma solução política, mas o pré-requisito é o respeito da Coreia do Norte pelas resoluções do Conselho de Segurança da ONU", continuou o diplomata.

Os lançamentos da Coreia do Norte representam "uma ameaça à política de não proliferação, ao mundo, aos vizinhos da Coreia do Norte, à Coreia do Sul e ao Japão. Entendemos perfeitamente as preocupações nesta região e instamos a Coreia do Norte a cumprir as resoluções da ONU e retomar as negociações", insistiu.

De Rivière esclareceu que não estava previsto nenhum projeto de declaração conjunta por parte do Conselho.

Em nota divulgada em Londres, o Ministério das Relações Exteriores britânico condenou, como os Estados Unidos haviam feito anteriormente, a "clara violação" das resoluções do Conselho de Segurança e "uma ameaça à paz e segurança regional".

"Instamos a Coreia do Norte a se abster de qualquer provocação adicional e a retomar o diálogo com os Estados Unidos", acrescentou o comunicado.

Tanto a Coreia do Norte quanto a do Sul dispararam mísseis nesta quarta-feira no que parece ser uma corrida armamentista entre os dois países que tecnicamente ainda estão em guerra.

Segundo fontes diplomáticas e da ONU, Seul não está sujeita à proibição do lançamento de mísseis balísticos, ao contrário de Pyongyang, contra a qual existem várias séries de fortes sanções econômicas destinadas a interromper seus programas de armas balísticas e nucleares.

prh/dax/dg/lm/am

Notícias