PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Laudo aponta suspeita de covid em morte de mulher de 27 anos após cirurgia

Keitiane Eliza da Silva tinha 27 anos - Reprodução/Facebook
Keitiane Eliza da Silva tinha 27 anos Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Daniel César

Colaboração para o UOL

15/05/2021 15h47Atualizada em 16/05/2021 04h13

Sequelas da covid-19 podem ter agravado o quadro de saúde da vendedora de veículos Keitiane Eliza da Silva, de 27 anos, que morreu em 13 de abril por complicações de uma cirurgia plástica em Cuiabá (MT). É o que diz o laudo da perícia realizada pela Politec (Perícia Oficial e Identificação Técnica), liberado ontem.

Segundo o documento, durante o período pré-operatório, exames laboratoriais da paciente não apontaram anormalidades e o exame físico estava sem alteração, o que liberou a mulher para realização do procedimento.

O documento indica que não é possível saber o que causou a coagulopatia, instalada após a cirurgia e responsável pela morte da vendedora, mas a conclusão é de que o quadro de coronavírus pode ter sim influenciado o quadro de saúde da paciente.

"Fica claro para estes peritos que o sangramento excessivo que levou a Sra. Keitiane à morte, se deveu a um quadro agudo de coagulopatia (CIVD) que se instalou no pós-operatório imediato, de forma imprevisível. Não é possível afirmar categoricamente se a causa dessa desordem esteve relacionada ao grande porte da cirurgia e a condições orgânicas individuais inatas da falecida, ou até mesmo ao quadro recente de Covid-19 que ela havia tido, doença de surgimento recente, multifacetada e de repercussões ainda insondáveis, sabidamente associada a coagulopatia", diz trecho do documento.

O laudo aponta ainda que Keitiane já havia feito outras duas cirurgias e que seu estado de saúde era considerado saudável e, portanto, o único ponto fora da curva havia sido a covid-19.

"O que se verificou de importante na documentação analisada referente aos antecedentes da periciada é que ela já havia anteriormente se submetido a pelo menos dois procedimentos cirúrgicos de monta (cesariana e implante de prótese mamária) sem notícia de complicações semelhantes, e que ela havia tido Covid-19 no mês anterior à realização da cirurgia (teste antígeno positivo em 22/03/2021) [...] Não havia nenhum problema de saúde detectável, sobretudo, no sistema de coagulação sanguínea, evidenciando uma mulher jovem e saudável".

A expectativa da Politec é que novas conclusões ainda possam surgir com o resultado de exame anátomo-patológico das peças anatômicas, que foram enviadas à Gerência de Histopatologia Forense, ainda sem data para o resultado.

Relembre o caso

Keitiane Eliza da Silva morreu no dia 14 de abril, um dia depois de ter passado por três procedimentos estéticos em Cuiabá. A jovem foi submetida a lipoaspiração com abdominoplastia e enxerto nos glúteos, além da correção de uma cicatriz que tinha nos seios decorrente de um procedimento anterior feito em outro hospital.

Durante a cirurgia, que durou cerca de seis horas, tudo teria ocorrido bem e Keitiane foi levada para se recuperar em um quarto. À noite, entretanto, a vendedora apresentou falta de ar. Por volta da meia-noite, Keitiane apresentou novamente falta de ar e teve uma parada cardíaca.

Devido ao estado de saúde grave, a vendedora precisou ser transferida para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital da cidade. Segundo a família, ela teve outras duas paradas cardíacas e não resistiu. A mulher deixou dois filhos pequenos.

Notícias