PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Árvore jorra água ao lado de santuário em PE e fiéis falam em 'milagre'

do UOL

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL

20/04/2021 21h53Atualizada em 21/04/2021 15h11

Moradores de São Joaquim do Monte, no agreste de Pernambuco, estão fazendo uma peregrinação diferente em direção ao Santuário de Frei Damião: os fiéis estão indo ao local para ver o "milagre" de uma árvore vizinha ao monumento, que começou a jorrar água há vários dias, depois de ser podada.

Desde que os ramos tiveram as pontas cortadas, uma água cristalina começou a escorrer sem parar, com alguns dos populares pendurando baldes para recolher o líquido. Vídeos que mostram o fenômeno foram parar na redes sociais e viralizaram.

O padre José Isael, responsável pela paróquia do município, destacou que autoridades da Igreja Católica devem analisar o acontecimento, mas sem deixar de fazer coro a teoria de um "milagre".

"Para nós, por enquanto, é um suposto milagre. A igreja é que vai analisar. A igreja tem sua equipe. Se for de Deus, continua. Então, veremos com o tempo. A igreja vai estudar", disse o sacerdote.

O UOL procurou a Cúria Diocesana de Caruaru, que coordena as paróquias do agreste pernambucano, que também pediu "cautela" sobre o assunto.

"Cautela e observação. Não cabe a igreja precipitar-se. A igreja vai observar. Ela foi cortada. Jorra água. Algumas pessoas têm ido lá e o bispo tem acompanhado. Mas ainda não existe matéria para investigação. Vamos deixar o tempo passar para ver", afirmou.

"Milagre" faz parte de sistema da árvore

Apesar da empolgação dos fiéis com a água "milagrosa", o professor Felipe Melo, do Departamento de Botânica da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), explica que o fenômeno se deve ao sistema de capilaridade da árvore.

Ao UOL, ele detalhou que existem algumas árvores, especialmente em climas mais secos, que conseguem puxar tanta água da terra que, quando podadas, expelem o líquido em abundância.

"Uma árvore podada pode estar saindo seiva por capilaridade. Essa pressão pode subir pelos troncos, principalmente árvores do semiárido", esclareceu.

"Muitas espécies lá do semiárido possuem vasos muito finos e isso faz com essa água suba. Não sei precisar quanto tempo vai durar, mas logo isso para de acontecer", destacou o professor.

Notícias