PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Cármen Lúcia será relatora de ação contra Salles que motivou troca na PF

Ministra foi escolhida por sorteio como relatora de processo que envolve ministro do Meio Ambiente - Foto: Valor
Ministra foi escolhida por sorteio como relatora de processo que envolve ministro do Meio Ambiente Imagem: Foto: Valor
do UOL

Do UOL, em São Paulo

16/04/2021 18h16

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia foi sorteada hoje como relatora da notícia-crime feita pelo delegado Alexandre Saraiva contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Após Saraiva entrar com o processo na Corte, o diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, decidiu fazer uma troca no comando da corporação.

Saraiva era superintendente da PF no Amazonas. Com a repercussão do processo contra Salles, ele foi substituído pelo delegado Leandro Almada no comando regional.

O ex-superintendente acusa Salles de obstrução de investigação ambiental, organização criminosa e favorecimento de madeireiros. Ele pede que o ministro seja investigado pelo STF.

Saraiva, que assina a notícia-crime, também pede a investigação do presidente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Eduardo Bim, e do senador Telmário Mota (PROS-RR).

De acordo com o delegado, Bim pediu à Polícia Federal na semana passada documentos com informações da Operação Handroanthus, que terminou em uma apreensão histórica de madeira ilegal no final do ano passado. No entendimento de Saraiva, a ação foi uma maneira de Salles ter informações sobre a investigação.

O Ibama é um órgão subordinado ao Ministério do Meio Ambiente.

Saraiva acusa Salles e Telmário Mota de atuarem em favor dos investigados no esquema apurado pela Polícia Federal.

O ministro do Meio Ambiente, por sua vez, definiu a acusação como "absurda", apesar de defender que a grande quantidade de madeira apreendida em 2020 foi extraída de forma legal.

Ontem, o STF recebeu mais uma notícia-crime contra Salles, esta apresentada pelo PDT. A legenda pede que a Corte investigue o ministro pelas denúncias de favorecimento a madeireiros ilegais. Caso o pedido seja aceito, o processo será remetido à PGR (Procuradoria-Geral da República) para apuração.

"Alvo a ser abatido"

Uma reportagem da Folha de S. Paulo mostra que madeireiros investigados pela Polícia Federal queriam a saída de Saraiva da Superintendência do Amazonas. Em mensagens mostradas pela matéria, o delegado chega a ser apontado como "alvo a ser abatido".

Notícias