PUBLICIDADE
Topo

Com aval externo, índice avança guiado por mineração e siderurgia

13/07/2020 11h53

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista começava a semana com viés positivo, beneficiada pela trajetória de alta nos mercados acionários no exterior, com ações do setor de mineração e siderurgia entre os maiores ganhos do Ibovespa nesta manhã.

Às 11:44, o Ibovespa subia 0,7%, a 100.731,03 pontos. O volume financeiro era de 8,77 bilhões de reais.

Em Wall Street, sinais de progresso no desenvolvimento de vacina para a Covid-19 e com um começo positivo para a temporada de balanços corporativos do segundo trimestre nos Estados Unidos, com o resultado da PepsiCo, endossavam o bom humor. O norte-americano S&P 500 subia 1%.

No Brasil, a safra de resultados do Ibovespa começa no dia 22, com WEG abrindo calendário.

A segunda-feira no mercado brasileiro também era marcada pela repercussão de anúncio das ofertas de ações de Dimed e Irani, previstas para serem precificadas no dia 22, mantendo o mercado de capitais aquecidos dado o cenário de juros no país.

Na visão da equipe da CM Capital Markets, a bolsa brasileira tende a ser influenciada pelo otimismo com recuperação da atividade global somado às expectativas quanto aos balanços corporativos e agenda doméstica fraca nesta sessão.

DESTAQUES

- VALE ON 3,09%, na esteira do salto dos preços futuros do minério de ferro na China, em meio a expectativas de um aperto sazonal na oferta proveniente de mineradoras na Austrália. No setor, CSN ON disparava 8,99%, GERDAU PN tinha elevação de 4,17% e USIMINAS PNA valorizava-se 3,36%.

- IRB BRASIL RE subia 7,61%, em sessão de recuperação, após começar o mês com fortes perdas, penalizada por revisão de resultados anteriores após fraude contábil, entre outras adversidades. Até o momento, a ação perde 9,8% em julho e 74,5% em 2020, pior desempenho do Ibovespa.

- CVC BRASIL ON valorizava-se 3,45%, também buscando no cenário mais positivo como um todo apoio para alguma recuperação, dado o forte impacto negativo nos resultados provocado pela pandemia de Covid-19, além de também ter identificado irregularidades em suas demonstrações financeiras. Em julho, já acumula alta de 25,5%. Mas no ano ainda perde 48%.

- BANCO DO BRASIL ON subia 1,2%, ITAÚ UNIBANCO PN ganhava 0,33% e BRADESCO PN avançava 0,67%. Para analistas do Credit Suisse, o setor está atrativo mesmo sob premissas conservadoras, conforme relatório, em que reiteraram recomendação 'outperform' para os grandes bancos de varejo do país. SANTANDER BRASIL UNIT cedia 0,31%.

- PETROBRAS PN cedia 0,27%, em meio à fraqueza dos preços do petróleo no exterior. PETROBRAS ON tinha alta de 0,3%.

- AMBIPAR ON disparava 16,2% em sua estreia na bolsa paulista, com a cotação chegando a superar 29 reais, após seu IPO ser precificado a 24,75 reais por papel.

- DIMED ON avançava 7,13%, após anúncio de oferta de ações bilionária com esforços restritos, que a companhia espera precificar na próxima semana. Os papéis não estão no Ibovespa. DIMED PN subia 6,75%. A empresa se comprometeu a migrar para o Novo Mercado se concretizada a operação, o que implicará conversão das PNs em ONs.

- IRANI saltava 19,4%, após anúncio de oferta primária inicial de 90 milhões de ações ordinárias com esforços restritos, que espera precificar em 22 de julho. A operação ainda prevê distribuição secundária adicional de até 31,5 milhões de papéis. A operação é considerada um re-IPO dada a baixíssima liquidez das ações.

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

Notícias