PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Advogado conhecido por polêmicas será o novo ministro da Justiça da França

06/07/2020 23h03

Paris, 6 jul (EFE).- O advogado Éric Dupond-Moretti, que se tornou conhecido na França pela participação em alguns dos casos judiciais com maior repercussão, foi anunciado nesta segunda-feira como o novo ministro da Justiça, em meio a uma reformulação do governo de Emmanuel Macron.

O novo titular da pasta teve entre clientes o fundador do site Wikileaks, Julian Assange; o rei do Marrocos, Mohammed VI; além de diversos políticos acusados de corrupção. Dupond-Moretti ainda virou celebridade na televisão, ao participar de programas em que tornou marca registrada os acessos de raiva.

Uma das principais lideranças da oposição, Marine Le Pen, do Agrupamento Nacional (RN), foi uma das primeiras a se manifestar sobre a nomeação do novo ministro.

"Para a Justiça foi nomeado um militante da extrema-esquerda, que deseja proibir o RN, partido mais importante da oposição. Isso promete", escreveu a representante da extrema-direita, em postagem no Twitter.

O novo ministro do Interior será Gérald Darmanin, que vinha ocupando a pasta da Fazenda e é um dos símbolos da direita na França, inclusive, tendo sido comparados diversas vezes ao ex-presidente Nicolas Sarkozy.

O Ministério da Cultura terá como titular a conservadora Roselyne Bachelot, que já exerceu o cargo. A ativista Barbara Pompilii assumirá como ministra da Transição Ecológica.

O Ministério das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, assim como o da Economia, Bruno Le Maire; e o da Educação, Jean-Michel Blanquer, seguirão no governo.

O gabinete, que será encabeçado pelo novo primeiro-ministro, Jean Castex, nomeado na última sexta-feira, se caracteriza pela continuidade e também pela diversidade de correntes políticas entre os integrantes.

Notícias