PUBLICIDADE
Topo

Mulheres millennials veem retorno ao pregão vital para carreira

Liz McCormick e Sally Bakewell

02/07/2020 12h09

(Bloomberg) -- As aspirações de carreira de uma geração de mulheres em finanças podem depender de voltar ao escritório ou ao pregão.

Para millennials como Ambika Church, de 24 anos - uma agente de vendas de renda fixa da TD Securities -, a interação cara a cara com colegas e superiores é essencial para obter mais das habilidades essenciais necessárias para continuar a íngreme ascensão ao sucesso em um campo ainda dominado por homens. Depois de aproximadamente dois anos de carreira, Church deixou Nova York e tem trabalhado na casa dos pais em Seattle desde abril.

"Você perde aquele ambiente de solução de problemas ao seu redor - as lições não oficiais que obtém ao ver diferentes vendedores conversando com clientes e operadores e navegando em situações difíceis", disse.

Mulheres ocupam apenas um terço das posições em certas áreas do setor de finanças. E uma extensão prolongada do trabalho remoto pode piorar as coisas para as que entram no setor - especialmente quando se trata de networking e superação de preconceitos. A interação pessoal é um aspecto essencial do desenvolvimento dos aliados necessários para prosperar, diz Lisa Kaplowitz, diretora do Centro para Mulheres em Negócios da Rutgers Business School.

"Se você não tem esse tempo cara a cara com seus chefes e gerentes, não terá essa resposta deles", disse Kaplowitz, que ocupou altos cargos no setor financeiro e trabalhou como analista em Wall Street. "As mulheres geralmente não se mostram igualmente confiantes em fazer ouvir suas vozes, mesmo quando estão fisicamente sentadas ao lado dos colegas. Eu ouço isso o tempo todo das mulheres, e isso é agravado quando elas estão em uma chamada do Zoom."

Para homens e mulheres, os primeiros anos da carreira são obviamente fundamentais. No entanto, as mulheres há muito tempo enfrentam uma série de obstáculos para avançar. Portanto, qualquer obstáculo no início da carreira se torna ainda mais prejudicial.

No ano passado, a participação média de agentes mulheres em valores mobiliários, commodities e vendas financeiras foi de 30%, enquanto as mulheres representaram cerca de 34% das posições de analistas financeiros, de acordo com dados do Escritório de Estatísticas de Emprego dos EUA. Análise da Morningstar mostrou que a porcentagem de mulheres que administram trilhões de dólares no setor global de gestão de ativos se estagnou nas últimas duas décadas - pouco mais de 1 em cada 10.

Historicamente, as mulheres enfrentam maiores obstáculos na metade da carreira quando isso envolve crianças, pois geralmente são elas que acabam tendo que fazer sacrifícios profissionais em famílias heterossexuais onde os dois trabalham. As mulheres ganham o equivalente a cerca de 80% do salário dos homens, de acordo com dados do Census Bureau.

É nesse contexto que trabalhar em casa durante a pandemia trouxe uma espécie de "prova de conceito" para muitas profissionais. É por isso que as mulheres ainda podem estar assumindo um fardo maior quando se trata de responsabilidades domésticas relacionadas ao cuidado dos filhos.

A porcentagem de homens que realizam pelo menos cinco horas diárias de cuidado ativo das crianças quase dobrou para 29% em relação aos 15% pré-pandemia; para as mulheres, essa parcela aumentou de 23% para 37%, segundo pesquisa realizada em maio por pesquisadores do Centro para Mulheres em Negócios e do Centro para Mulheres e Trabalho da Rutgers.

©2020 Bloomberg L.P.

Notícias