PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Hotéis de praia lotam nos EUA apesar de novos surtos

Patrick Clark

02/07/2020 12h52

(Bloomberg) — O aumento do surto de Covid-19 não impediu viajantes de se hospedarem em hotéis na Flórida e em outros estados do sul, onde os casos aumentaram.

As taxas de ocupação no final de semana chegaram a 95% na Cidade do Panamá, Flórida, e Gatlinburg, no Tennessee, depois que os turistas decidiram compensar as viagens canceladas nos primeiros dias da pandemia. Seis outros mercados de hospedagem tiveram taxas de ocupação acima de 90% no fim de semana de 26 de junho, de acordo com o provedor de dados STR.

Outros mercados de alta ocupação incluem Fort Walton Beach e Pensacola, ambos na Flórida, e também Biloxi no Mississippi e Virginia Beach em Virginia. A taxa de ocupação no final de semana foi de 54% em todo o país, número reduzido por propriedades nas principais cidades que estão enfrentando a falta de turistas e viajantes de negócios.

Desde que o surto do vírus atingiu os EUA, os executivos de hotéis previram que as propriedades que os viajantes a lazer podem chegar de carro se recuperariam primeiro. E, embora ninguém consiga adivinhar quando os viajantes de negócios irão decidir que é seguro reservar quartos novamente, as férias de carro proporcionaram um impulso bem-vindo a um setor em dificuldades.

Se a demanda por hotéis vai continuar crescendo ainda é uma questão em aberto. Empresas de hospedagem, incluindo Marriott International e Hilton Worldwide Holdings reforçaram os protocolos de limpeza e lançaram campanhas de marketing para convencer os viajantes de que suas propriedades são seguras.

Ainda assim, é mais fácil esterilizar os botões do elevador e manter distância social nos lobbies quando os hotéis não estão cheios, e as ações do governo para reduzir os surtos provavelmente tornarão os hotéis menos atraentes.

"Quando os estados começarem a fechar restaurantes ou bares ou limitar atividades em locais como praias, definitivamente teria impacto", disse David Kong, diretor executivo da Best Western, em entrevista à Bloomberg Television.

©2020 Bloomberg L.P.

Notícias