PUBLICIDADE
Topo

Ministério elogia isenção de impostos para medicamentos sem comprovação

3.abr.2020 - O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, durante coletiva sobre o novo coronavírus - Marcello Casal Jr./Agência Brasil
3.abr.2020 - O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, durante coletiva sobre o novo coronavírus Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
do UOL

Do UOL, em São Paulo

04/04/2020 18h15

O Ministério da Saúde elogiou hoje a promessa do presidente Jair Bolsonaro de zerar impostos do zinco e vitamina D para combate contra o coronavírus. Porém, ainda não há comprovação científica de que os componentes sejam efetivos na prevenção ou recuperação de pacientes com covid-19.

Em coletiva de imprensa nesta tarde, o diretor-executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis, disse ver como positiva a atitude. "Achamos que é super positivo, ótimo. Porque esses medicamentos já estão sendo utilizados mesmo que ainda em protocolos clínicos experimentais. Mesmo que não tenhamos ainda uma comprovação científica mais robusta, temos notícias de que isso pode ser alguma coisa boa para o futuro", disse.

"O fato de não incidir mais impostos sobre esses medicamentos é bom para o sistema de saúde, que vai adquirir, é bom para os hospitais privados que estão oferecendo esses medicamentos. É uma notícia positiva para todos nós", completou.

Bolsonaro prometeu hoje por meio das suas redes sociais a isenção. O governo já havia anunciado anteriormente que deixaria de tributar a hidroxicloroquina e azitromicina, medicamentos que também passam por testes para avaliação da eficácia contra o coronavírus.

"Medicamentos (entre outros) que tiveram todos seus impostos zerados pelo Governo Federal: Hidroxicloroquina e Azitromicina. Outros que serão "zerados" nos próximos dias: Zinco e vitamina "D". Todos usados no tratamento de pacientes portadores da covid-19", escreveu Bolsonaro.

No site oficial, o Ministério da Saúde trata a imagem de um medicamento que contém a presença de zinco, combinado como vitamina C, como fake news.

O texto no site diz que, "até o momento, não há nenhum medicamento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus".

Especialistas dizem que tomar vitamina D não previne nem cura da covid-19 e que seu uso só deve ser feito com orientação médica.

Ainda não há um remédio que cure a covid-19. A recomendação de especialistas, avalizada pelo Ministério da Saúde e por grande parte dos estados brasileiros, é aderir ao isolamento social como forma mais efetiva de evitar a disseminação do vírus.

Notícias