PUBLICIDADE
Topo

Sanders quer consolidar em Nevada sua vantagem nas primárias democratas

Sanders conseguiu apertada vitória na primária democrata de New Hampshire - Getty Images
Sanders conseguiu apertada vitória na primária democrata de New Hampshire Imagem: Getty Images

22/02/2020 08h07

Las Vegas, Estados Unidos, 22 Fev 2020 (AFP) - O estado de Nevada, famoso pelos cassinos e paisagem desértica, celebra neste sábado a terceira etapa do processo de primárias democratas, para definir o candidato que enfrentará o presidente Donald Trump na eleição de novembro.

A votação acontece com o favorito Bernie Sanders enfraquecido por denúncias de interferência da Rússia a seu favor.

O processo em Nevada, que acontecerá em assembleias cidadãs conhecidas como caucus, foi ofuscado por informações divulgadas nos últimos dias sobre uma nova tentativa de interferência russa nas eleições americanas.

Sanders chega como líder, com 15 pontos de vantagem nas pesquisas, e pretende consolidar sua posição em um estado com grande população latina. Mas as denúncias de que Moscou supostamente pretendia beneficiar sua candidatura podem abalar sua posição.

Na terceira etapa das primárias do partido, depois de Iowa e New Hampshire, Sanders espera consolidar a vantagem antes da "Super Terça" de 3 de março, dia em que 14 estados votam simultaneamente.

Mas o caucus também pode representar um estímulo a outros pré-candidatos, que precisam somar delegados para permanecer na disputa.

Na sexta-feira, Sanders se tornou alvo, após os relatos de funcionários do governo americano que revelaram supostas tentativas da Rússia de favorecer sua candidatura.

Em um clima político polarizado e com a opinião pública abalada após a campanha de interferência de Moscou nas eleições de 2016 a favor de Trump, sobre a qual várias agências de inteligência americanas concordam, os relatos poderiam prejudicar Sanders, candidato independente que se apresenta como um "socialista democrático".

O senador por Vermont rebateu as denúncias e enviou uma mensagem direta ao presidente russo Vladimir Putin: "Fique longe das eleições americanas e, como presidente, vou garantir que ele faça isso".

Embora não esteja claro o alcance da trama russa nem a motivação, a denúncia poderia ajudar potencialmente a campanha de reeleição de Trump, já que muitos acreditam que para o presidente seria mais fácil vencer um candidato de esquerda como Sanders, em comparação a uma opção mais moderada como o ex-vice-presidente Joe Biden.

"Em 2016, a Rússia usou propaganda pela internet para semear a divisão e, pelo que entendo, está fazendo de novo em 2020", afirmou Sanders em um comunicado.

Bloomberg, o grande ausente

Nevada, um estado mais diverso que os dois que já votaram, tem 20% de latinos entre os eleitores. Vários candidatos tentam ganhar força em um momento crucial das primárias.

Biden, que começou a disputa como favorito e agora luta para permanecer na disputa após um desempenho humilhante em Iowa e New Hampshire, está em segundo nas pesquisas em Nevada com 16%.

Um resultado ruim neste sábado pode ser fatal para a campanha de Biden.

O caucus de Nevada também é crucial para a senadora Elizabeth Warren, cuja campanha ressurgiu após o debate de democrata de quarta-feira em que criticou duramente o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, exigindo que revogue os acordos de confidencialidade assinados por sua empresa com várias mulheres.

Bloomberg não disputa o caucus deste sábado, pois decidiu concentrar sua campanha na "Super Terça", para a qual gastou mais de 360 milhões de dólares de sua fortuna pessoal.

A campanha de Bloomberg anunciou na sexta-feira que liberaria dos acordos de confidencialidade três mulheres por casos relacionados a queixas após comentários feitos pelo bilionário no ambiente de trabalho.

Também na sexta-feira, o Twitter informou que suspendeu 70 contas por publicações similares a spam que apoiavam Bloomberg, cuja campanha contratou centenas de pessoas para promovê-lo nas mídias sociais.

"Adotamos medidas contra um grupo de contas por violar nossas regras contra a manipulação da plataforma e o spam", disse um porta-voz da plataforma.

Notícias