PUBLICIDADE
Topo

Honda confirma primeira morte por falha de airbags da Takata no Brasil

Acidente fatal aconteceu em um Civic 2008 que não havia realizado recall - DIvulgação
Acidente fatal aconteceu em um Civic 2008 que não havia realizado recall
Imagem: DIvulgação
do UOL

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/02/2020 22h09

Resumo da notícia

  • Acidente ocorreu com Civic 2008 que não havia passado por recall
  • Perícia constatou que óbito ocorreu por rompimento do insuflador do airbag
  • Caso conhecido como "airbags mortais" forçou recall de milhões de carros pelo mundo

A Honda divulgou na noite de hoje (14) que tomou conhecimento de um acidente fatal ocorrido no Rio de Janeiro por conta da falha no insuflador dos airbags da Takata. É o primeiro caso confirmado pela empresa no país.

De acordo com a empresa, o acidente envolveu um Civic LXS 2008 que não havia passado pelo recall que substitui as bolsas infláveis defeituosas. A perícia determinou "ruptura anormal do insuflador do airbag Takata, causando ferimentos que levaram à morte do motorista".

A montadora afirmou que "já comunicou as autoridades competentes e seguirá colaborando disponibilizando as informações sobre a ocorrência".

O recall realizado pela falha no insuflador dos airbags é um dos maiores da história da indústria automotiva. No caso da Honda, uma campanha vem sendo realizada desde 2010 junto a clientes para realizar o recall. O Civic dirigido pela vítima não havia substituído a peça defeituosa.

O reparo é realizado gratuitamente e pode ser agendado pelo telefone 0800-701-3432 ou pelo site http://www.honda.com.br/recall.

Entenda o caso

Milhares de airbags fabricados pela Takata saíram de fábrica com um problema no insuflador. Assim, fragmentos metálicos podem ser lançados em direção à cabine quando o airbag se inflar, podendo causar ferimentos graves e mortes.

Os airbags da Takata estão ligados a pelo menos 24 mortes em todo o mundo. A maioria delas aconteceu nos Estados Unidos, onde mais de 250 feridos também já foram contabilizados.

Nos últimos anos, perto de 70 milhões de veículos foram convocados para recalls no país norte-americano. O número representa cerca de 13% de todos os veículos registrados no país.

Por lá, a Takata se declarou culpada e foi obrigada a pagar cerca de US$ 1 bilhão à Justiça americana (R$ 3,9 bilhões). Dessa multa, US$ 125 milhões (R$ 491 mi) serão utilizados para auxiliar feridos.

E no Brasil?

Levantamento realizado pela Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) e obtido com exclusividade por UOL Carros em 2019 aponta que apenas 44% dos quase 3,5 milhões de veículos com airbags defeituosos foram reparados no Brasil.

Na prática, significa que quase 2 milhões automóveis permanecem circulando pelo país equipados com um ou mais airbags "fatais" — as peças defeituosas, em vez de salvar vidas em caso de acidentes, podem ferir gravemente e até matar os ocupantes do veículo.

Até poucos meses atrás, 30 acidentes foram confirmados com automóveis defeituosos, com pelo menos 12 pessoas feridas. Nenhuma morte havia sido atribuída ao problema dos airbags até o caso anunciado pela Honda.

Notícias