Topo

Rodrigo Maia dá sermão após deputado destruir cartaz sobre genocídio negro

do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/11/2019 20h16

O presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), deu sermão no Coronel Tadeu (PSL-SP), depois que ele rasgou uma placa afixada no túnel localizado entre o Anexo II e o Plenário da Câmara dos Deputados contra o genocídio da população negra.

A imagem que estampava o objeto continha a imagem de um homem negro algemado e deitado no chão e um policial com a arma saindo fumaça, como se tivesse acabado de disparar. (Veja o vídeo abaixo)

"Eu não falo baseado em pressão de ninguém, mas o que aconteceu em relação ao episódio envolvendo o deputado Tadeu é muito grave. Eu disse no meu discurso, em Nova York, falei sobre democracia, sobre tolerância, sobre preconceito. E, em uma democracia, em um país livre, não é porque divergimos da posição da outra pessoa, que devemos agredi-la verbalmente, fisicamente, ou retirar de forma violenta uma peça de uma exposição que foi autorizada pela presidência da Câmara", disse ele.

"Hoje aconteceu com uma exposição em relação à Consciência Negra, amanhã pode acontecer com aqueles que riram, aqui, achando que estão defendendo o Coronel Tadeu. E não estão. Então, eu peço a compreensão de todos, porque hoje não é um dia que marca de forma positiva a nossa Casa. Muito pelo contrário. Esse é um dia em que deveríamos defender a inclusão e a igualdade de oportunidades. E não agredindo um cartaz que pode, inclusive, ser injusto com parte da polícia, mas devemos ouvir com diálogo, nunca com agressão", prosseguiu.

"Então espero que um ato como esse, certamente impensado em um momento de mais nervosismo do deputado, que isso não repita porque isso não é bom para uma Casa que pensa em representar a todos os brasileiros e não a parte deles", completou.

Em ofício enviado ao presidente da Câmara, o deputado pediu a retirada da peça e a classificou como "desnecessária e inoportuna manifestação de desonra e generalização de ilegalidade na atuação dos policiais". Tadeu é coronel da Polícia Militar.

"Conforme se verifica do conteúdo da imagem, há a absurda atribuição da responsabilidade pelo genocídio da população negra aos policiais militares, prestando-se, assim, verdadeiro desserviço junto à população que trafega pelas dependências da Câmara, retratando negativamente o salutar papel dos policiais militares para a manutenção da ordem pública no nosso país".

UOL
Imagem: UOL

"Os policiais militares, que todos os dias colocam suas vidas e de suas famílias em risco para garantir o bem-estar dos nossos cidadãos, devem ser reconhecidos, privilegiados e valorizados, não podendo esta Casa compactuar com essa desnecessária e inoportuna manifestação de desonra e generalização de ilegalidade na atuação dos policiais", alega.

Após a atitude do Coronel Tadeu, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) afirmou que entrará no conselho de ética contra o deputado do PSL. Outros deputados da oposição acionaram a Polícia Legislativa e vão relatar o caso ao Presidente da Câmara Rodrigo Maia.

Notícias