Topo

Opep vê possível corte 'acentuado' de oferta fora do grupo

Javier Blas

13/11/2019 14h53

(Bloomberg) -- A Opep vê potencial para um corte "acentuado" em 2020 da oferta estimada de petróleo de países que não fazem parte da organização, segundo o secretário-geral do grupo, Mohammad Barkindo.

A Opep também vê um possível "aumento" na previsão de crescimento da demanda, principalmente se os EUA e a China assinarem um acordo comercial preliminar, disse Barkindo na quarta-feira à margem de uma conferência do setor em Abu Dhabi.

"É provável que vejamos revisões acentuadas da oferta fora da Opep em 2020, principalmente nas bacias de gás de xisto dos EUA", disse Barkindo na Exposição e Conferência Internacional de Petróleo de Abu Dhabi. "Estou ansioso para uma conferência muito bem-sucedida da Opep em dezembro. Estamos confortáveis."

Os comentários destacam uma perspectiva mais otimista para o mercado de petróleo no próximo ano e sinalizam que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo pode manter as metas atuais de produção quando se reunir em Viena, nos dias 5 e 6 de dezembro. O grupo fechou uma aliança com vários países não membros da Opep, principalmente a Rússia, para gerenciar o mercado de petróleo.

Barkindo disse que algumas empresas americanas alertaram para a desaceleração do crescimento do gás de xisto dos EUA em 2020, com uma expansão projetada de 300 mil a 400 mil barris por dia. As empresas de gás de xisto estão sob pressão de Wall Street para controlar gastos e oferecer maior retorno aos acionistas.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Notícias