Topo

Moro diz que Witzel quer culpar o governo Bolsonaro pelos crimes no Rio

O ministro da Justiça, Sérgio Moro - Leco Viana/Estadão Conteúdo
O ministro da Justiça, Sérgio Moro Imagem: Leco Viana/Estadão Conteúdo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

13/11/2019 18h00

O ministro da Justiça Sergio Moro acusou o governador Wilson Witzel (PSC) de transferir a responsabilidade dos crimes ocorridos no Rio de Janeiro para o governo Bolsonaro.

O governador do Rio de Janeiro usou hoje pela manhã a morte da menina Ketellen Umbelino de Oliveira Gomes, 5 anos, para fazer críticas à atuação do governo Jair Bolsonaro (PSL) na segurança pública. A criança foi atingida por tiros quando ia para a escola, em Realengo, zona oeste do Rio, na manhã de ontem.

No Twitter, Moro analisou que o governo tem combatido o tráfico de drogas e de armas, e por isso os crimes caíram em todo o país.

"O Gov Federal tem combatido duramente o tráfico de drogas e de armas. Crimes caem em todo o pais por conta disso. Abaixo, dados oficiais que mostram recordes de apreensão de cocaína. Melhoramos o controle das fronteiras e vamos melhorar mais ainda com programas. como o VIGIA", escreveu o ministro.

"Não é correto comparar as apreensões dos primeiros cinco meses de 2019 com o total apreendido nos anos anteriores, como faz o Governador do Rio de Janeiro ao buscar transferir a responsabilidade dos crimes no Estado ao Governo Federal", acrescentou.

Quem também rebateu Witzel foi o senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente, que chamou de "traidor" e "mentiroso" o governador do Rio de Janeiro.

"Além de traidor, não seja também um mentiroso contumaz. Em 2019 a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal bateram recorde na apreensão de drogas. Não jogue nos ombros alheios a responsabilidade por sua incompetência. Tenha ao menos honestidade intelectual", tuitou Flávio.

Notícias