Topo

Putin e Erdogan acertam criação de zona de segurança no nordeste da Síria

22/10/2019 16h03

Moscou, 22 out (EFE).- Os presidentes de Rússia e Turquia, Vladimir Putin e Recep Tayyip Erdogan, pactuaram nesta terça-feira a criação de uma zona de segurança no nordeste da Síria que entrará em vigor à meia-noite desta quarta.

As polícias síria e russa serão responsáveis por liberar essa região de grupos curdossírios em um prazo de 150 horas, segundo o texto do acordo que os dois presidentes assinaram hoje em uma reunião na cidade de Sochi, na Rússia.

"Começando à meia-noite de 23 de outubro, a polícia militar russa e guardas sírios entrarão no lado sírio da fronteira, fora da zona da operação 'Fonte de Paz', para facilitar a retirada de elementos das Unidades de Proteção Popular (YPG) e suas armas", diz o acordo assinado hoje por Putin e Erdogan na cidade russa de Sochi.

As milícias curdossírias terão que se retirar a 30 quilômetros da fronteira turco-síria, e toda a operação "deve ser concluída em 150 horas", segundo o texto.

"Todos os terroristas das Unidades de Proteção Popular (YPG) serão levados para fora da região", afirmou Erdogan em um pronunciamento conjunto com Putin.

O líder turco referiu-se a um dos grupos armados que compõem as Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança de milícias liderada por curdos. A Turquia considera as YPG uma organização terrorista.

Erdogan ressaltou que, por meio deste acordo, a Rússia e a Turquia começam "um novo período" nos esforços em prol de uma solução pacífica para o conflito na Síria.

Por sua vez, Putin disse que o acordo - fechado após quase sete horas de negociações - "é muito importante e ajudará a resolver a situação tensa que vemos atualmente na fronteira turca".

Os dois líderes selaram o pacto poucas horas antes de expirar o prazo da trégua acertada por Turquia e Estados Unidos na última quinta-feira para permitir que as FSD deixassem a região de fronteira. EFE

Notícias