Topo

Piñera suspende aumento da passagem do metrô após distúrbios em Santiago

19/10/2019 20h43

Santiago, 19 out (EFE).- O presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou neste sábado, em meio a graves distúrbios no país, a suspensão do aumento das passagens do metrô em Santiago até chegar a um acordo que proteja os cidadãos do impacto das subidas drásticas do dólar na fixação das tarifas.

Com esta medida, Piñera pretende encerrar os protestos na capital chilena que começaram na última segunda-feira, mas que desde ontem vêm registrando episódios violentos, principalmente em Santiago.

Para suspender o aumento do preço da passagem, que há duas semanas subiu 30 pesos chilenos (R$ 0,17), com o valor chegando a 830 pesos chilenos (R$ 4,80) na hora do rush, o presidente disse que será necessário aprovar um projeto de lei em regime de urgência.

Uma vez aprovada a lei para redução da tarifa, o Governo buscará acordos que protejam os cidadãos da influência de aumentos drásticos no dólar ou petróleo nas diferentes tarifas que pagam.

Com esta decisão, o presidente disse buscar uma solução para o "alto custo de vida, maior segurança, preços baixos dos medicamentos e maiores garantias em nosso sistema de saúde".

"Ouvi com humildade e muita atenção as vozes dos meus compatriotas e não terei medo de continuar ouvindo essas vozes, porque é assim que as democracias são construídas", disse Piñera.

Para levar adiante essa iniciativa, o presidente convocou para amanhã uma reunião com os outros poderes do Estado "para conhecer suas opiniões e propostas para enfrentar essa difícil situação".

Os atos de violência nos protestos registrados nos últimos dias no país, como incêndios em estações de metrô e confrontos entre manifestantes e agentes da força de segurança, foram condenados pelo presidente. EFE

Notícias