Topo

Wall St recua com dados econômicos fracos ofuscando balanços positivos

16/10/2019 17h15

Por Stephen Culp

NOVA YORK (Reuters) - Os índices de Wall Street perderam terreno nesta quarta-feira, à medida que dados econômicos fracos dos Estados Unidos e tensões geopolíticas afastaram compradores do mercado de ações, apesar de uma série de balanços positivos do terceiro trimestre.

As ações de tecnologia, lideradas pela Microsoft, foram as de maior influência negativa, empurrando os três principais índices acionários dos EUA para o vermelho.

O Dow Jones fechou em queda de 0,08%, a 27.001,98 pontos, enquanto o S&P 500 cedeu 0,20%, a 2.989,69 pontos, e o Nasdaq Composto recuou 0,3%, para 8.124,18 pontos.

As vendas no varejo dos EUA caíram pela primeira vez em sete meses em setembro, de acordo com o Departamento de Comércio norte-americano, em um sinal de que os problemas podem estar se espalhando do setor manufatureiro para áreas mais amplas da economia.

"Essa é provavelmente a primeira indicação de que o lado consumidor da economia está apresentando sinais de estresse e talvez contraindo", disse Tim Ghriskey, estrategista-chefe de investimentos do Inverness Counsel. "O consumidor tem sido visto como o salvador da economia, e então esse dado é divulgado, é bastante chocante."

As incertezas comerciais relacionadas a EUA e China aumentaram depois de a Câmara dos Deputados norte-americana ter irritado Pequim com a aprovação de uma medida pró-democracia em apoio a Hong Kong.

O presidente dos EUA, Donald Trump, ainda disse que provavelmente não assinará qualquer acordo comercial antes de se reunir com o presidente chinês, Xi Jinping, no Fórum da Apec no Chile, mas afirmou que um acordo parcial está sendo formalizado.

Analistas esperam que os lucros no S&P 500 tenham recuado 3% no terceiro trimestre, o que representaria a primeira contração em comparação anual desde o fim da recessão dos balanços, em 2016.

No entanto, das 43 empresas do S&P 500 que já divulgaram seus resultados trimestrais, 86% superaram as expectativas.

O Bank of America avançou 1,5% após registrar lucro acima das estimativas no terceiro trimestre, devido à alta nos ganhos com taxas de consultoria e ao aumento em sua carteira de empréstimos.

A United Airlines avançou 1,9% depois de seus lucros superarem as expectativas no trimestre, apoiada também por um aumento em seu "guidance" de 2019.

Notícias