Topo

Paraguai expulsa brasileiro ligado a PCC e CV

15/10/2019 21h01

Asunción, 16 Out 2019 (AFP) - O Paraguai expulsou o suposto narcotraficante brasileiro Levi Adriani Felício, 52 anos, que forneceria armas e drogas para o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV), informou nesta terça-feira a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad).

Considerado um "peixe grande" do narcotráfico, Adriani Felício foi detido na segunda-feira, em sua residência em um elegante bairro de Assunção, durante operação surpresa de agentes da Senad.

Adriani Felício foi entregue nesta terça a autoridades brasileiras em Ciudad del Este, na tríplice fronteira com a Argentina.

O traficante, que fornecia armas e drogas ao PCC e ao Comando Vermelho, foi transportado de helicóptero - em meio a um forte esquema de segurança - para um aeroporto militar de Assunção, de onde seguiu de avião para o terminal aéreo da represa de Itaipu, situada às margens do rio Paraná.

Em outra operação contra o narcotráfico, na cidade de fronteira de Pedro Juan Caballero, a polícia capturou o brasileiro Marcio Gayoso, 27 anos, suposto assistente de Felicio.

"Felício era quem dava as ordens", disse em entrevista coletiva Carlos Alcaraz, chefe da Unidade Especializada no combate ao Narcotráfico e que dirigiu as operações.

O grupo enviava ao Brasil cocaína, maconha, armas e até matadores.

hro/lr

Notícias