Topo

Major Olímpio cita Tropa de Elite e diz que Carlos Bolsonaro é "moleque"

Major Olimpio (PSL-SP)  - 18.jan.2019 - Simon Plestenjak/UOL
Major Olimpio (PSL-SP) Imagem: 18.jan.2019 - Simon Plestenjak/UOL
do UOL

Do UOL, em São Paulo

13/10/2019 17h00Atualizada em 13/10/2019 20h25

O senador Major Olímpio (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro continuaram a trocar insultos na rede social Twitter, durante a tarde de hoje.

Durante a discussão, Olímpio citou uma cena do filme de "Tropa de Elite" ao afirmar que Carlos Bolsonaro é "moleque".

O bate-boca virtual havia começado com Olímpio rebatendo uma insinuação do filho do presidente Jair Bolsonaro sobre seu choro pela recuperação do então candidato, que sofreu um atentado a faca durante a campanha presidencial. O vereador o chamou de bobo da corte e acrescentou que Olímpio diz absurdos sobre seu trabalho.

Olímpio respondeu que o "povo não elegeu príncipes".

A discussão prosseguiu e Carlos Bolsonaro chamou o senador de "canalha".

Por sua vez, Olímpio afirmou "compreender a baixa e o desespero" de Carlos e, ao final da última mensagem, declarou que não iria cair nas provocações do "moleque".

Em entrevista ao UOL, Olimpio acusou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Bolsonaro, de participar de uma "conspiração" para minar o PSL e assumir o controle da legenda. Os dois travam uma disputa particular pelo comando do partido em São Paulo.

Na noite de sexta, Eduardo respondeu dizendo que "roupa suja se lava em casa" e que Bolsonaro o advertiria se estivesse causando problemas. "No momento em que eu estiver atrapalhando, acho que é o próprio presidente que vai puxar minha orelha", afirmou.

Líder do PSL no Senado, Major Olimpio também defendeu que seu colega de bancada e outro filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), deixe o partido. Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, teve movimentações atípicas milionárias em sua conta quando trabalhava no gabinete de Flávio quando este era deputado estadual no Rio.

Carlos Bolsonaro já havia feito uma crítica pública a Major Olimpio na terça-feira (8), quando o senador declarou que uma eventual saída de Bolsonaro do PSL seria como "morar sozinho e fugir de casa".

"Com todo respeito ao Major Olímpio. Lembro exatamente como foi sua campanha para senador e dos detalhes no hospital, mas que fazem parte da vida pública. Fico estarrecido da maneira como este senhor trata o presidente hoje! Ninguém é imune a críticas, mas meu Deus! É surreal", escreveu o vereador no Twitter.

Bolsonaro é vítima de Eduardo, diz Major Olímpio

UOL Notícias

Notícias