Topo

Witzel diz que preso tem que "perder a liberdade sexual" de visita íntima

Antonio Cruz/Agência Brasil
Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil
do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/09/2019 10h04

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), defendeu o fim da visita íntima durante o 1º Encontro Nacional de Diretores de Departamentos de Homicídios, realizado ontem. Em declaração publicada pelo jornal "O Globo", Witzel disse que os presos precisam "perder a liberdade sexual" e opinou sobre outras medidas para endurecer o cumprimento das penas no Brasil.

"A pena para criminosos do crime organizado não pode ser 35 anos, tem que ser 50 anos. O sistema que ele tem que ficar preso não pode ter visita íntima. Perdeu a liberdade? Tem que perder a liberdade sexual. Onde é que nós estamos com a cabeça? Você tira a liberdade do sujeito, mas não tira a liberdade sexual dele. O que que é isso? Perdeu sim", afirmou Witzel.

No evento, Wilson Witzel ainda defendeu a construção de mais presídios no Estado. "Nós não prendemos demais, e, sim, de menos. Falta vaga no sistema prisional. Aqui no Rio construiremos cinco presídios verticais, com capacidade de 3.500 a 5 mil. Com áreas de ensino e de indústria", complementou Witzel.

O 1º Encontro Nacional de Diretores de Departamentos de Homicídios contou com a participação de delegados especializados de todo o Brasil.

Mais Notícias