Topo

Testamos: JAC iEV20 é elétrico que diverte e cabe em qualquer vaga

do UOL

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/09/2019 04h00

Pagar R$ 120 mil por um carro não é nenhuma pechincha, mas esse é o preço do novo JAC iEV20, elétrico mais barato à venda no Brasil.

UOL Carros teve um rápido contato ao volante do compacto chinês a bateria, cujas primeiras unidades serão entregues em janeiro. Além de ser abastecido exclusivamente com eletricidade, é um carro bem pequeno, menor ainda que o Renault Kwid - tem apenas 3,77 m de comprimento, 2,39 m de distância entre-eixos e porta-malas de 121 litros.

A chinesa JAC anuncia a novidade como SUV compacto, por conta da aparência mais robusta e do vão livre de 15 cm em relação ao solo. Porém, não se engane: trata-se na verdade de uma versão elétrica e reestilizada do J2, subcompacto com motor flex que empresa já vendeu no País.

Pegada urbana

O iEV20 atrai quem está interessado em investir em carro elétrico e busca uma opção com pegada urbana, que cabe em quase qualquer vaga. Ele foi feito para quem não precisa levar adultos no banco traseiro, mais adequado para transportar crianças pequenas. Também cativa por conta do bom desempenho na cidade, entregando aceleração instantânea, uma das características dos carros elétricos.

Você pisa no pedal e o carro responde de imediato, graças ao torque de bons 21,9 kgfm disponíveis desde as primeiras rotações do motor elétrico, que traciona sempre as rodas dianteiras. Especialmente em baixas velocidades, com o iEV20 você deixará muitos carros maiores para trás.

São dois os modos de condução: "Eco" e "Low". No primeiro, que prioriza a performance em detrimento da autonomia, a aceleração de zero a 50 km/h acontece em 4,9 segundos, tempo que sobe a 0,9 segundos para sair da imobilidade e atingir os 80 km/h. Porém, acima dessa velocidade, a performance cai bastante para preservar a carga das baterias e o zero a 100 km/h se dá em longos 16 segundos. Com esse ajuste, a velocidade máxima é de 112 km/h, informa a JAC Motors.

No ajuste "Low", a prioridade total é para a duração da carga, restringindo a máxima a 63 km/h, porém sem afetar as arrancadas vigorosas. Nesse ajuste, a função de recarga das baterias nas desacelerações é acentuada, ampliando o efeito de freio-motor, já bastante evidente no modo "Eco", o padrão. A potência é de modestos 68 cv, o que é largamente compensado pelo torque abundante. Afinal, trata-se de um carro ideal para as metrópoles - embora nada impeça de utilizá-lo na estrada, desde que em trajetos não muito longos.

Condução divertida

Com 1.340 kg de massa, o iEV20 é bastante pesado para um carro do seu porte, muito por conta das baterias de 41 kWh instaladas no assoalho, com mesma capacidade das utilizadas no Renault Zoe e no Nissan Leaf. Porém, o centro de gravidade baixo contribui para deixar o veículo mais "pregado" no chão, sobretudo em curvas. A direção elétrica tem boa calibragem e a dirigibilidade em geral chega a surpreender. É um carro divertido.

Agora, tem a questão da autonomia, um quesito que deixa muita gente receosa em relação aos elétricos. A JAC diz que o iEV20 pode rodar até 400 km com uma carga completa, com o modo "Low" ativado e o ar-condicionado desligado - isso no ciclo NEDC. Na prática, espere algo em torno de 260 km em condições normais de uso na cidade, o que já atende quem não roda muito todos os dias. Uma recarga por semana, feita em casa, pode ser suficiente.

Por falar em recarga, utilizando uma tomada de 220 V e um carregador portátil vendido por R$ 4 mil, as baterias são preenchidas de 20% a 100% em aproximadamente 14 horas. A JAC também oferece um carregador de parede mais potente, fornecido pela EDP, que possibilita recarga de 15% a 100% em menos de quatro horas - de acordo com a montadora. O acessório sai por R$ 8,5 mil.

"Tanque" cheio por menos de R$ 25

A empresa diz que, com a tarifa de eletricidade cobrada na capital paulista, encher totalmente as baterias por menos de R$ 25, com custo aproximado de R$ 0,05 por km rodado.

Por dentro, a cabine tem bom acabamento, com peças bem encaixadas e painel, bancos e revestimento das portas de couro sintético, com costuras aparentes. Ficou bem melhor que o antigo J2.

O carro não tem transmissão e sim um seletor giratório no console central para selecionar os modos D (drive), R (ré) e N (neutro). A central multimídia do tipo "flutuante" traz tela tátil de sete polegadas que exige o estado das baterias e quando estas são recarregadas nas desacelerações. Também permite espelhar a tela do celular, mas não conta com Android Auto nem Apple CarPlay.

O painel de instrumentos é digital, porém traz leitura um tanto confusa e baixa resolução, que lembra brinquedos eletrônicos da década passada. É praticamente o mesmo utilizado no iEV40, "irmão maior" do iEV20 que já está à venda, por R$ 153.990.

Tanto os carregadores quanto próprio veículo contam com linha de financiamento do Santander com taxa mensal de 0,77%.

Concluindo: o iEV20 tem suas virtudes, mas resta saber quem vai se dispor a gastar R$ 120 mil nele. Hoje é um produto de nicho e, mesmo mais barato, tem a concorrência de marcas mais tradicionais quando de trata de carro elétrico no Brasil: Renault Zoe (R$ 149.990), Nissan Leaf (R$ 195 mil) e Chevrolet Bolt - este último com lançamento confirmado para outubro e preço estimado de R$ 175 mil.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Ficha técnica: JAC iEV20

Motor: elétrico, tração dianteira

Potência: 68 cv

Torque: 21,9 kgfm

Câmbio: não tem transmissão

Aceleração: zero a 50 km/h em 4,9 segundos e zero a 100 km/h em 16 segundos

Velocidade máxima: 112 km/h

Dimensões: 3,77 m de comprimento, 1,68 metro de largura, 1,57 metro de altura, 2,39 m de entre-eixos

Porta-malas: 121 litros

Preço: R$ 119.990

Mais Notícias