Topo

Parlamento do Equador aprova saída do país da Unasul

17/09/2019 20h21

Quito, 17 set (EFE).- A Assembleia Nacional do Equador aprovou nesta terça-feira um resolução que denuncia o tratado da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o que abre o caminho para a saída definitiva do país da organização regional.

Com 79 votos a favor, 36 contrários e quatro abstenções, os parlamentares equatorianos deram sinal verde para o texto elaborado pela Comissão de Relações Exteriores da Assembleia Nacional.

A resolução diz que a Unasul descumpriu os objetivos de integração para a qual foi criada e que foi usada como plataforma ideológica por governos de outros países.

A crise na organização começou em 2017, quando os 12 países-membros da Unasul não chegaram a um acordo sobre a escolha de um novo secretário-geral.

A situação se agravou pelas diferenças entre os governos sobre a crise da Venezuela e entrou em uma fase crítica em abril do ano passado, quando Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru suspenderam a participação e deixaram de financiar o bloco.

Após a aprovação da resolução pelo plenário da Assembleia Nacional, a resolução será agora enviada ao presidente do Equador, Lenín Moreno, que anunciará formalmente a intenção do país de deixar da organização. A saída só será formalizada seis meses depois do anúncio.

A sede da Unasul foi construída em Quito. Moreno já informou que o prédio será transformado em uma universidade.

Em março, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru se reuniram em Santiago para anunciar a criação do Prosul, um bloco para substituir a Unasul.

Bolívia, Guiana, Suriname, Uruguai e Venezuela seguem como integrantes da Unasul. EFE

Mais Notícias