Topo

Eleitores vão às urnas para escolher representantes do Parlamento Europeu

Yves Herman/Reuters
Eleitora vota na Bélgica nas eleições para o Parlamento Europeu Imagem: Yves Herman/Reuters

2019-05-26T05:27:51

26/05/2019 05h27

Os eleitores já começaram a votar neste domingo (26) em 21 países da União Europeia para escolher os representantes do Parlamento Europeu, um órgão que ganha cada vez mais importância na discussão e análise de questões essenciais para a estabilidade da UE.

Os eleitores já começaram a votar neste domingo (26) em 21 países da União Europeia para escolher os representantes do Parlamento Europeu, um órgão que ganha cada vez mais importância na discussão e análise de questões essenciais para a estabilidade da UE.

Seis países do leste do continente, entre eles a Grécia, a Hungria, a Romênia, a Lituânia e Chipre foram os primeiros a abrir os locais de votação, seguidos pela Itália, Polônia e Áustria. A votação também já teve início na França, Alemanha, Bélgica, Suécia, Portugal e Dinamarca.

O pleito já ocorreu em sete outros países desde quinta-feira (23), entre eles o Reino Unido. Os britânicos, depois de mais um adiamento do Brexit, tiveram que organizar as eleições europeias no país às pressas. O mandato dos representantes acabará quando a saída do bloco for efetivada e as cadeiras obtidas pelo Reino Unido no Parlamento Europeu serão redistribuídas para outros países.

Cerca de 427 milhões de europeus poderão participar da votação, que é facultativa, e visa eleger 751 membros do Parlamento por 5 anos. As eleições, em geral, têm pouca participação. Em 2014, apenas 42,6% dos eleitores foram às urnas. Neste ano, também é esperada uma forte abstenção. Os resultados oficiais deste domingo (26) só serão conhecidos por volta das 23h na França, no horário local (17h em Brasília).

Trinta e quatro listas e tendências políticas diversas

As primeiras estimativas serão divulgadas por volta das 20h. A principal disputa, acontece entre o grupo populista ENL, formado por partidos como a Reunião Nacional, de Marine Le Pen, e a Liga, do ministro do Interior italiano Matteo Salvini, e a lista do partido do presidente Emmanuel Macron, A República em Marcha.

O resultado desse embate definirá a futura linha política do Parlamento. No total, 34 listas, entre elas duas oriundas do movimento dos "coletes amarelos", participam das eleições.

O Parlamento, cuja sede fica em Estrasburgo, no leste da França, é o único órgão eleito por sufrágio universal direto desde 1979 e ganhou importância ao longo dos anos, discutindo temas cruciais para o continente e o mundo como as mudanças climáticas ou a crise migratória.

Mais Notícias