Topo

Por risco em barragem, Barão de Cocais decreta feriado e suspende aulas

REUTERS
Estrada para a mina de Gongo Soco, complexo de barragens da Vale em Barão de Cocais (MG); barragem Superior Sul está com "risco iminente de rompimento" Imagem: REUTERS
do UOL

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

2019-03-24T17:17:43

24/03/2019 17h17

Após a sirene soar pela segunda vez em Barão de Cocais, na noite da última sexta-feira (24), o município mineiro próximo a uma barragem da mineradora Vale vai decretar feriado amanhã para que os moradores realizem um treinamento de evacuação. As aulas nas escolas da cidade, que fica a 97 km de Belo Horizonte, também serão suspensas amanhã e na terça-feira (26).

Para se precaver de um possível rompimento --a barragem entrou em nível de alerta 3 na sexta-feira, o que significa risco de ruptura iminente ou em andamento--, a Defesa Civil da cidade, juntamente com outros órgãos, realizou reuniões de alinhamento para traçar as especificidades do treinamento de evacuação. Segundo a Defesa Civil, cerca de 6.000 pessoas precisam ser evacuadas da cidade, caso a barragem se rompa.

"Essa simulação segue padrões internacionais e vamos contar com 600 pessoas trabalhando, parte delas voluntárias e outra parte de funcionários da Vale", afirmou o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais. Além da simulação e dos encontros, serão instaladas 1.400 placas com informes como "local seguro" e "rota de fuga" para orientar a população.

A cidade será dividida em sete pontos de encontro, cada um referente a uma região do município. Os moradores de cada bairro terão de se apresentar nessas reuniões prévias para depois participarem da simulação, que vai acontecer amanhã às 16h. Segundo a Defesa Civil, o ponto número 6 (no centro da cidade) é o mais delicado, pois concentra o maior número de pessoas.

Cada um desses pontos de encontro terá uma equipe multidisciplinar, com assistentes sociais e psicólogos. Será feito um cadastro dos moradores e, na reunião, serão distribuídos kits com informações sobre a mancha de inundação da barragem. "É importante para as pessoas poderem se localizar", disse Godinho.

"Importante ressaltar que, caso haja uma evacuação, as pessoas precisam sair a pé de casa, com tranquilidade, cada um ao seu tempo. Veículos não devem ser utilizados, pois as vias devem ficar livres para viaturas dos bombeiros e da polícia que estarão ajudando as pessoas", afirmou o tenente-coronel. Godinho ainda afirmou que uma versão digital do mapa da cidade foi enviada para todos os moradores.

Zona de autossalvamento já foi evacuada

Em 8 de fevereiro, duas semanas após a queda da barragem de Brumadinho que culminou na morte de ao menos 212 pessoas, a Vale mandou evacuar os bairros mais próximos da barragem Superior Sul em Barão de Cocais --a chamada zona de autossalvamento.

À época, a consultoria Walm se negou a atestar a estabilidade da barragem, o que fez com que a ANM (Agência Nacional de Mineração) ordenasse a evacuação.

Na última sexta, a sirene tocou de forma protocolcar, como explicou a Defesa Civil. "Não precisamos evacuar ninguém porque as pessoas já haviam sido retiradas do local", disse Godinho, afirmando ainda que 454 moradores tiveram de abandonar suas casas em fevereiro.

A barragem Superior Sul está, neste momento, com risco nível 3 --"situação de risco iminente de rompimento ou rompimento já acontecendo", segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

Outras cidades podem ser atingidas

De acordo com a Defesa Civil, a lama da barragem deve atingir a cidade de Barão de Cocais em cerca de uma hora e 12 minutos. Este é o local que os bombeiros classificam como "área de salvamento secundário".

Após três horas e seis minutos, a lama deve chegar na cidade de Santa Bárbara. Seis horas e 30 minutos após um hipotético rompimento, os rejeitos atingirão São Gonçalo do Rio Abaixo.

Ao todo, somando as populações das cidades, quase 10 mil pessoas terão de se retirar de suas casas. O treinamento de amanhã, no entanto, versa somente sobre a cidade de Barão do Cocais. "As outras cidades estão tendo seus treinamentos próprios, com os funcionários de suas respectivas defesas civis", explicou Godinho.

Após a realização do treinamento, os moradores preencherão um cadastro e poderão retornar para suas casas. As estradas que dão acesso à cidade serão fechadas durante a simulação.

Mais Notícias