PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Foto de Macron de sunga em exposição motiva investigação por "invasão de privacidade"

26/09/2021 17h48

Uma investigação foi aberta a pedido do Palácio do Eliseu por "invasão de privacidade" após a exibição de uma foto do presidente francês Emmanuel Macron em sunga de banho em uma exposição numa conhecida galeria de Paris, disse a promotoria da capital francesa neste domingo (26), confirmando informações da rede Europe 1.

Uma investigação foi aberta a pedido do Palácio do Eliseu por "invasão de privacidade" após a exibição de uma foto do presidente francês Emmanuel Macron em sunga de banho em uma exposição numa conhecida galeria de Paris, disse a promotoria da capital francesa neste domingo (26), confirmando informações da rede Europe 1.

"Está em curso uma investigação" e "as investigações foram confiadas ao BRDP", a Brigada de Repressão à Delinquência contra a pessoa, afirmou o Ministério Público da França, sem indicar os motivos exatos da investigação, nem as pessoas visadas. O Palácio do Eliseu, contatado pela agência AFP, disse que "não tinha comentários" sobre o caso.

Segundo a rede Europe 1, Emmanuel e Brigitte Macron estão na origem da denúncia que tem como alvo, em particular, um paparazzi, autor da foto considerada ofensiva. Este último, segundo os meios de comunicação, "expôs durante quinze dias fotos de Presidentes da República nos seus locais de férias", incluindo as de Emmanuel Macron, "em frente ao Palácio do Eliseu".

A foto do presidente em seu jet ski teria sido tirada "ano passado" e já teria "circulado na mídia", segundo a Europa 1, que especifica que "o organizador da exposição de fotos foi ouvido por duas horas e meia por a polícia no início da semana ".

Thibault Daliphard, um dos fotógrafos da exposição, contactado pela AFP, indicou que seria interrogado pela polícia na terça-feira que vem no Var (sul), onde reside, mas sem saber "sobre que fotos" seria o interrogatório.

Ele disse que ficou muito "surpreso" com a reclamação do casal presidencial porque o Eliseu havia informado ao galerista Daniel Delamare que as fotos "incomodavam" e elas foram, segundo o paparazzi, "imediatamente removidas" da mostra. "É até incompreensível", as fotos tendo "na sua maioria já publicadas sem que tivesse havido tanto barulho no momento da sua divulgação", acrescentou.

Esta exposição não pretendia "de forma alguma provocar ou minar a imagem do presidente", continuou. "A intenção era apenas ver os presidentes de folga, pessoas que têm atividades (de férias) como todo mundo, oficialmente."

"É até uma tradição presidencial ver fotos de presidentes franceses durante as férias", desde "[Georges] Pompidou em Fort Brégançon a Emmanuel Macron, incluindo [Valéry] Giscard em roupa de banho", afirmou.

"A foto no jet ski, mostra um presidente jovem, dinâmico, com ar quase de um Kennedy então não vejo como a imagem possa ser negativa", lamentaram os paparazzi que indicaram fazer este trabalho "há 15 anos".

Notícias