PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

França: cerca de 400 desabrigados ocupam a Place des Vosges em Paris

29/07/2021 13h55

Cerca de 400 desabrigados, incluindo famílias com crianças e menores desacompanhados, armaram tendas na Place des Vosges, uma elegante praça no 4º distrito de Paris, para pedir ao Estado francês "soluções de acomodação decentes e sustentáveis". Às 13h locais (8h em Brasília), em apenas alguns minutos, 300 tendas foram montadas nos jardins, divididas em três áreas: "famílias", "homens solteiros" e "menores".

Cerca de 400 desabrigados, incluindo famílias com crianças e menores desacompanhados, armaram tendas na Place des Vosges, uma elegante praça no 4º distrito de Paris, para pedir ao Estado francês "soluções de acomodação decentes e sustentáveis". Às 13h locais (8h em Brasília), em apenas alguns minutos, 300 tendas foram montadas nos jardins, divididas em três áreas: "famílias", "homens solteiros" e "menores".

"Pretendemos ficar até que todos os presentes sejam abrigados", alertou Philippe Caro, da organização humanitária Solidarité migrants Wilson, que ao lado das associações Utopia 56, Droit Au Logement - DAL (Direito a Alojamento), entre outras, forma o "Collectif Réquisitions", que apoia a ação.

"Estamos aqui para aumentar o tom: há 400 mil moradias vazias em Île-de-France [região parisiense]. Pedimos uma melhor aplicação da lei das requisições", prosseguiu Caro, referindo-se à legislação de 1945 que permite ao Estado instalar pessoas mal alojadas ou sem-abrigo em habitações que estejam vazias por mais de seis meses, e isto "por um período máximo renovável de um ano".

Nos gramados da Place des Vosges, turistas e curiosos conviveram com as centenas de tendas azuis, vermelhas e amarelas, fornecidadas pelas associações. "Escolhemos este lugar porque é um ponto turístico. Queremos mostrar o outro lado de Paris. Tornar o invisível visível, também em bairros nobres", disse à AFP Pierre Mathurin, coordenador do Utopia 56 na capital.

No espaço "família", Touré, vinda da Costa do Marfim em fevereiro de 2021, divide uma barraca com seus dois filhos, de 4 e 6 anos: "Não tenho onde dormir, então essa ação é uma esperança para mim. Vou esperar o quanto for preciso."

Cerca de 3 mil pessoas realojadas

Em nota à imprensa, o DAL explica que esta é a nona ação do "Collectif Réquisitions". Em maio, esta organização conhecida por suas ações relâmpago e a favor dos desabrigados ocupou um ginásio pertencente à prefeitura de Paris. No final de janeiro, foi a vez de uma antiga escola maternal no sofisticado 16º distrito e, em meados de fevereiro, o Hôtel-Dieu, também no 4º distrito de Paris.

De acordo com o DAL, graças aos esforços do coletivo "quase 3 mil pessoas deixaram de viver nas ruas ou em abrigos improvisados. A ocupação do espaço público por centenas de moradores de rua foi a única forma de garantir o respeito ao seu direito de serem abrigados até serem devidamente realojados".

"Com esta ação, queremos sair da engrenagem: em vez de encontrar acomodação, o Estado se apoia em nós (associações). Procuramos acomodações porque ninguém mais está fazendo, mas não deveríamos estar aqui para compensar as falhas do Estado. Com essas ações lembramos que é papel deles, não o nosso", denunciou Pierre Mathurin.

(Com informações da AFP)

Notícias