PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Em revés para Castillo, oposição peruana irá liderar Congresso do país

26/07/2021 18h04

Por Marco Aquino

LIMA (Reuters) - Uma aliança liderada pela oposição venceu uma votação nesta segunda-feira para liderar o Congresso do Peru, o que representa uma derrota para o presidente eleito Pedro Castillo às vésperas de sua posse, e um sinal de que seus planos de reformar a Constituição e aumentar os impostos para mineradoras vão enfrentar desafios.

Uma equipe de liderança chefiada pela parlamentar de centro María del Carmen Alva, do partido Ação Popular, ganhou por 69 votos a 10 contra um grupo rival liderado pelo militar da reserva Jorge Montoya, que é de um partido de direita ultra-conservador.

Uma lista de candidatos proposta pelo partido de Castillo Peru Livre foi rejeitada por conta de questões procedimentais, ressaltando os desafios que o presidente eleito irá enfrentar para avançar reformas em um Congresso fragmentado onde nenhum partido detém a maioria.

Alva, que será a presidente do Congresso no período legislativo de 2021-22, teve um apoio importante do partido de direita Força Popular, de Keiko Fujimori, candidata que perdeu por uma margem estreita para Castillo no segundo turno das eleições no dia 6 de junho, prometendo combatê-lo.

Castillo conquistou forte apoio entre a população rural e mais pobre, com um programa de governo que promete reescrever a Constituição do país andino, que já tem décadas, e aumentar expressivamente os impostos sobre as empresas de mineração de cobre para custear reformas nas áreas de saúde e educação.

A ascensão do ex-professor e filho de fazendeiros conseguiu, entretanto, estremecer as elites políticas e empresariais do Peru, apesar das atitudes de Castillo para se distanciar de regimes mais duros de esquerda na região e para trazer a bordo conselheiros mais moderados.

No domingo, Castillo anunciou uma lista de candidatos para liderar o Congresso escolhidos por seus partidos aliados, ao invés do seu próprio, para apoiar a "governança" no país, embora sua lista tenha sido rejeitada já que um dos candidatos não estava registrado da maneira correta.

Castillo, de 51 anos de idade, será empossado na quarta-feira, no dia em que o Peru comemora o bicentenário de sua independência. Ele deve fazer seu primeiro pronunciamento como presidente, apresentando seu plano de governo para o mandato entre 2021 e 2026.

Notícias