PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Secretaria-geral da OEA qualifica Hamas como 'organização terrorista'

17/05/2021 16h59

A Secretaria-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) descreveu nesta segunda-feira (17) o movimento islâmico Hamas como uma "organização terrorista", e invocou o direito de "legítima defesa" de Israel contra as ações contra este grupo.

"Os recentes ataques lançados pelo Hamas contra a população civil israelense, sem dúvida, constituem ataques de natureza terrorista. Sua violência e os objetivos que buscam têm claramente essa característica", informou o gabinete de Luis Almagro em um comunicado.

O comunicado acusou o Hamas, que controla a Faixa de Gaza, de "agressão terrorista ilimitada" e de "semear o terror sobre pessoas inocentes, sejam elas israelenses ou palestinas".

Além disso, repudiou e condenou o que chamou de "uso imoral e indigno de crianças e mulheres como escudos humanos", assim como "a militarização de áreas residenciais".

"O início de ataques desta natureza contra um país com um claro objetivo terrorista contra sua população civil torna essencial a invocação do princípio da legítima defesa por parte de Israel", ressaltou.

"Os ataques do Hamas constituem um ataque contra a paz e a segurança de Israel e da região, e tornam imperativo categorizar o Hamas como uma organização terrorista para a Secretaria-Geral da OEA", concluiu.

O Hamas começou a disparar foguetes contra Israel em 10 de maio depois que tropas israelenses entraram na Esplanada das Mesquitas em Jerusalém - sagrada para muçulmanos e judeus - em meio à escalada de tensões sobre medidas para desalojar famílias palestinas de um bairro em Jerusalém Oriental.

O disparo de mísseis por parte dos militantes palestinos desencadeou em uma grande ofensiva aérea israelense na Faixa de Gaza, um estreito enclave palestino do qual o exército israelense se retirou em 2005 antes de impor um bloqueio, reforçado a partir de quando o Hamas assumiu o poder, em 2007.

O aumento da violência, em seu ápice entre israelenses e palestinos desde 2014, deixa cerca de 200 mortos do lado palestino, incluindo 59 crianças, e uma dúzia do lado israelense, segundo fontes oficiais.

O Hamas é considerado uma "organização terrorista" por Israel, assim como pelos Estados Unidos e pela União Europeia. Chefiada desde 2015 pelo uruguaio Almagro, a Secretaria-Geral da OEA é o órgão central da organização regional integrada pelos 35 países do continente americano.

A classificação do Hamas como sendo uma "organização terrorista" pode ter consequências políticas, acarretando eventualmente a uma votação dos países da OEA sobre uma resolução da organização nesse mesmo sentido.

Notícias