PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

OMS não indica ivermectina para tratamento da covid-19

Organização Mundial de Saúde descarta uso da ivermectina no tratamento da covid-19 - iStock
Organização Mundial de Saúde descarta uso da ivermectina no tratamento da covid-19 Imagem: iStock
do UOL

Do UOL, em São Paulo*

23/04/2021 11h48

Ao contrário do que sugere uma postagem no Facebook, a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda o uso de ivermectina no tratamento da covid-19. No início de março, a OMS, na verdade, descartou qualquer benefício no uso do remédio (que é, na verdade, um vermífugo) nesses casos, com base em estudos científicos rigorosos feitos em várias partes do mundo.

O frame que consta no post — de uma reportagem veiculada no programa RedeTV! News — mostra o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, e a legenda "Médicos europeus pedem uso urgente da ivermectina", mas não menciona que a imagem de Adhanom aparece na reportagem em um trecho que fala justamente da não-recomendação da OMS do uso da ivermectina no tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus.

A postagem tampouco explica que o pedido em questão, feito por um grupo de profissionais da saúde portugueses, não foi aceito pela Autoridade Nacional de Medicamentos e Produtos de Saúde, correspondente à Anvisa no país europeu.

O Comprova tentou contato com a autora do post pelo Facebook, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. Já a RedeTV! disse, em nota ao Estadão, que a matéria trazia informações sobre o uso da ivermectina, mas que "em dois momentos destacou a ausência de comprovação científica das agências controladoras sobre a eficácia do remédio".

Como verificamos?

Procuramos pela reportagem original da RedeTV!, e encontramos, no site da emissora, o vídeo com o conteúdo completo, veiculado no programa RedeTV! News no dia 11 de março.

Entramos em contato com a autora do post no Facebook, mas ela não respondeu à nossa reportagem.

Buscamos detalhes sobre a petição dos médicos portugueses para o uso da ivermectina no tratamento da covid-19, além do posicionamento da Infarmed — Autoridade Nacional de Medicamentos e Produtos de Saúde de Portugal — sobre o pedido.

Depois, buscamos informações disponibilizadas pela própria Organização Mundial da Saúde a respeito do uso do medicamento, além de reportagens publicadas sobre o tema em diversos veículos de comunicação.

Por fim, entrevistamos, por telefone, o presidente da Sociedade Mineira de Infectologia e integrante do comitê de enfrentamento à covid-19 de Belo Horizonte (MG), Estevão Urbano.

O Comprova fez esta verificação baseado em informações científicas e dados oficiais sobre o novo coronavírus e a covid-19 disponíveis no dia 22 de abril de 2021.

Verificação

OMS não recomenda ivermectina

O frame da reportagem da RedeTV! usado na publicação do Facebook, com a imagem de Tedros Adhanom, aparece por volta dos dois minutos e meio da matéria (que tem mais de 7 minutos), quando a repórter diz que "a Organização Mundial da Saúde chegou a divulgar estudos que identificavam a ineficácia do medicamento" — o que não é mencionado na postagem na rede social.

comprova - Reprodução/Comprova - Reprodução/Comprova
Post engana sobre posicionamento da OMS a respeito do uso da ivermectina contra a covid-19; na imagem, o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom
Imagem: Reprodução/Comprova

O trecho é um contraponto à fala de uma das entrevistadas, Tess Lawrie, que defende o uso do medicamento com base em um estudo do tipo meta-análise, que avalia os resultados do trabalho realizado por outros pesquisadores. Outra publicação do tipo, que também defendia o uso da ivermectina no tratamento de pacientes com covid-19, já foi duramente criticada por pesquisadores brasileiros e tema de reportagens que demonstravam o problema com este tipo de estudo.

"A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) não recomendam o uso de ivermectina para quaisquer outros propósitos diferentes daqueles para os quais seu uso está devidamente autorizado, como para tratamento de oncocercose e sarna", diz o site oficial da OPAS, na seção destinada às informações sobre a covid-19.

No dia 31 de março deste ano, a OMS descartou, oficialmente, o uso da ivermectina no tratamento da covid-19.

Ivermectina na Europa e no mundo

O "pedido dos médicos europeus", a que a reportagem se refere, é uma petição, enviada à Infarmed — agência portuguesa com atribuições correspondentes à Anvisa, no Brasil. A matéria não menciona, porém, que o pedido foi negado, e a Comissão de Avaliação de Medicamentos da entidade considerou, em uma publicação de 11 de março, que "não existem evidências que apoiem a utilização deste medicamento na profilaxia e tratamento da COVID-19".

A RedeTV! veiculou outra reportagem, no dia 15 de março, com a informação sobre a negativa da agência portuguesa.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que na época da reportagem também analisava a solicitação de uso da droga nos casos do novo coronavírus, já se pronunciou sobre o tema, e, em 22 de março, passou a desaconselhar o seu uso no tratamento dos pacientes com a doença.

No Brasil, a Anvisa já não recomenda, desde o ano passado, o uso da ivermectina nos casos de coronavírus.

O presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estevão Urbano, também explicou à nossa reportagem que estudos rigorosos sobre a eficácia dos medicamentos do chamado "kit de tratamento precoce" da covid-19, incluindo a ivermectina, não tiveram resultados positivos.

"Boa parte dos pacientes que vão para CTIs já tomaram ou ivermectina, ou cloroquina, e não deixam de se agravar. Por outro lado, aqueles casos que tomam e melhoram possivelmente já melhorariam independente de tomar a medicação, visto que 85 a 90% das pessoas têm evolução favorável [da covid-19]", ressalta.

Por que investigamos?

O Comprova verifica conteúdos que podem contribuir para a desinformação sobre a pandemia da covid-19, que já matou mais de 380 mil brasileiros. Mesmo com a aprovação de vacinas desenvolvidas por diversos laboratórios, o país ainda enfrenta um cenário gravíssimo, com alto número de casos e mortes.

A ivermectina, mesmo com todos os alertas de autoridades internacionais e nacionais em saúde que questionam a sua eficácia, continua sendo apontada por alguns grupos como um possível tratamento para as infecções pelo novo coronavírus. Por isso, postagens que sugerem qualquer tipo de indicação de uso do medicamento, sobretudo pela OMS, podem gerar uma falsa sensação de segurança em que o utiliza, levando ao abandono de medidas realmente eficazes na redução dos casos de covid-19, como a vacinação, o uso de máscaras e o distanciamento social.

Só no Facebook, o post, do dia 12 de março, teve mais de 88 mil compartilhamentos até 22 de abril.

A Agência Lupa e o Estadão também verificaram um conteúdo semelhante, e o próprio Comprova já checou, no ano passado, um post que distorcia informações sobre a eficácia da ivermectina e outro, do Pastor Silas Malafaia, que continha dados enganosos sobre o medicamento.

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações.

*O material foi produzido por BandNews FM e O Estado de S. Paulo, e revisado por UOL, O Popular, O Povo e Correio de Carajás. Todos os veículos integram o Projeto Comprova.

O Comprova é um projeto integrado por 24 veículos de imprensa brasileiros que descobre, investiga e explica rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação associados a políticas públicas. Envie sua pergunta ou denúncia de boato pelo WhatsApp 11 97795 0022.

Notícias