PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Bukele pode ficar com o controle do Congresso após eleições em El Salvador

24/02/2021 10h31

San Salvador, 24 Fev 2021 (AFP) - Visto como autoritário e populista pelos seus adversários, mas fortalecido pelo partido que ajudou a criar, o presidente de El Salvador Nayib Bukele pode conseguir o controle do Parlamento e vencer na maioria dos municípios nas eleições de domingo, garantindo o controle do país.

Se as projeções das pesquisas forem confirmadas, "haverá uma concentração de poder no presidente da República, já que ele poderá aprovar, reformar ou revogar leis conforme sua conveniência", afirmou à AFP o diretor da Fundação de Estudos para a Aplicação do Direito (Fespad), Saúl Baños.

O partido Novas Ideias (NI), impulsionado por Bukele, lidera as preferências para as eleições de acordo com todas as pesquisas. Atualmente, o Legislativo é controlado pelos partidos de oposição Arena (direita) e a ex-guerrilha FMLN (esquerda).

Pode-se "inferir" que o Novas Ideias conseguirá 55 deputados, um a menos que a maioria qualificada, disse o reitor da Universidade Centro-Americana (UCA), Andreu Oliva, ao apresentar em 12 de fevereiro sua última pesquisa sobre esta eleição.

Baños lembrou que desde a assinatura dos acordos de paz em 1992 que encerraram 12 anos de guerra civil, nenhum partido obteve a maioria simples de 43 deputados no Congresso unicameral de 84 cadeiras. Então, para governar prevalecia o diálogo.

- Independência em risco -"Se o cenário eleitoral for favorável (a Bukele), vem uma mudança profunda nos âmbitos constitucional e institucional", alerta Baños ao referir-se à comissão presidida pelo vice-presidente, Felix Ulloa, que desde o ano passado estuda uma reforma na Constituição.

No entanto, Ulloa descartou desde já que essas reformas planejem alterar aspectos "ásperos" como a alternância na presidência.

Se o presidente alcançar no domingo a maioria na Assembleia Legislativa, segundo Baños, um "risco para o país" seria que Bukele poderia nomear como funcionários pessoas que "não exerçam seu trabalho de forma independente".

Para Baños, os quase dois anos de gestão de Bukele se caracterizaram por algumas "ações autoritárias", portanto a "concentração de poder" poderia ser usada para "tomar decisões pouco democráticas".

No domingo, cerca de 5,4 milhões de salvadorenhos devem eleger o novo Congresso, 262 prefeitos do país e deputados do Parlamento Centro-Americano (Parlacen), uma instituição dedicada à integração regional.

Os eleitos assumirão o mandato de três anos em 1º de maio.

Conservador e com uma gestão de caráter populista, o presidente tem como alvo os partidos tradicionais e os acusa de não terem feito nada pelo povo.

cmm/mav/gm/aa

Notícias